[SIN] KILLER: Novembro 2006

segunda-feira, novembro 27, 2006

Matéria sobre os suicidios no Black metal ...

A recente matéria publicada na revista RockHard, sobre os 'suicidios' no black metal, realmente mostra um lado assustador dessa cena, popularmente conhecida como satanista. O raw black metal, é um estilo tipicamente anti-cristão, e o conteúdo desse artigo me chamou atenção, o correto seria dizer, me deixou assustado. É preoculpante ver os cristãos 'navegando' nesse meio. A morte do lider do Dissection é o foco da matéria, porém outras mortes, são comentadas. A revista aproveita esse assunto, questionando o vocalista Dani Filth [Cradle Of Filth], que é capa da edição, numa entrevista muito interessante, do qual ele reprova a atitude do falecido Jon Nödtveidt. Dani Filth também já foi entrevistado pela a revista Heaven's metal [A maior publicação especializada em metal/rock cristão do mundo], numa seção aberta a bandas secular, chamada What 'your name' Says, onde nomes como o Dimmu Borgir, Type O Negative, Bruce Dickinson, Rob Halford, entre outros, passaram por lá.  King Diamond, fala do assunto 'black metal'... Ele que é uma influêcia forte nesse meio.

Em outras palavras, é tema  que todos os metalheads precisam ler e pensar 'muito' sobre isso... Pois segundo o texto, black metal, não apenas um estilo musical qualquer...

domingo, novembro 26, 2006

VesTigium Dei abre pro Massacration


A banda VesTigium Dei [metalcore] tocou recentimente com o Massacration. Para conferir as fotos, basta acessar o site http://www.vestigiumdei.com. Também tem um video no youtube deles.
O frontman da banda é Firás Obeid, da banda Spirit's Breeze [Death Metal]. A banda ainda não gravou um full, o que não deve demorar muito. A primeira demo, self titled, consta no site como esgotada.

Bride – Skin For Skin Brasilian Tour 2006






Bride – Skin For Skin Brasilian Tour 2006

São Paulo – 15 de Novembro/2006
Open Act – União – Dracma – Destra
txt & pics by Norman

Bride For Bride…
Cansei de esperar pelo o Bride old school. Já está mais que certo, que eles nunca vão voltar um pouco no passado. E pra que insistir, não é? Quem literalmente abriu esse show, foi a banda União. Conhecidos mais no meio católico, e agora entre os protestantes que se ligaram na sua mensagem e música. Metal Melódico, com umas doses prog /power . O sangue da banda parece ser mesmo o guitarrista Douglas Jen (SupreMa) e o frontman Irineu Lodi, ambos com uma performance ótima. O set foi curto, apenas 3 músicas, e uma delas, um excelente cover, ‘In God We Trust’ do Stryper.
O Dracma veio em seguida, com um vocal num estilo mais ‘screamer’ tirando assim, um pouco a aparência prog da banda e mudando bastando às músicas. É claro que fãs como eu sempre vão esperar por aquele prog metal do cd, Perfect Creation, que ainda não vimos no palco. O público recebeu muito bem eles. Mas o que todos esperam mesmo é o próximo álbum...
A próxima a aparecer no Palco, foi Destra, também com um Line Up novo. E o cara que substituiu o Eduardo Parronchi, conseguiu impressionar tocando os temas do Destra, fazendo em especial os solos, que foi que mais prestei atenção. Ele é meio Steve Vai no visual, e se chama, Rodrigo Rodrigues. As músicas de Sea Of Doubt ainda são as que mais chamam atenção, mas mesmo assim, o público permaneceu muito parado e achei que eles iam começar a chamar o Bride, antes do Set acabar. ‘You Should Believe’ foi o melhor momento do Destra, Rodrigo Grecco apesar de soar um pouco tímido, nessa música ele solta sua voz de um jeito incrível. (The last scream in this music was Killer).
O headliner Bride chegou e os fãs reagiram como se ninguém tivesse tocado antes. Dale Thompson, pode até não ser mais o mesmo, mas ele ainda é um frontman pronto pra dominar uma platéia. Sua experiência assim como seu talento ainda estão vivos e também conta com o reconhecimento dos fãs. Infelizmente, para alguns, o Setlist não muda muito, pelo o menos nos shows de São Paulo. Então, Would You Die For Me", . "Psychedelic Super Jesus", "I Love You" e Worm" , essas músicas tornam o
O set muito poderoso, e provavelmente jamais excluirão do set list. É claro que não faltou a "Everybody Knows My Name", uma das mais belas canções do Bride. Músicas do Skin For Skin, passaram despercebidas por boa parte dos fãs.
A balada I Miss the Rain" serviu pra mostrar que o Dale Thompson ainda tem a mesma voz. Todos cantaram essa música, que seguiu com Knockin On Heaven's Door (Bob Dylan), na versão do Guns ‘n Roses, onde Dale Thompson deixa a música ainda melhor, mesmo lembrando demais Axl Rose. Bom, pelo o menos, ele não tenta ser um POD, Rage Against The Machine. Nesse show não teve pregações, foi só Bride mesmo. Troy Thompson não parecia muito animado e eu já o vi mais alegre e mais vivo no palco. O que dizer do baixista Lawrence Bishop? Como ele agüenta ficar só naqueles ‘pulinhos’?
Bom, esse foi mais um show do Bride, nada de novo, a não ser que, contou com ótimas bandas de abertura.

sábado, novembro 25, 2006

Antidemon - Novo line Up

Para os fãs que temiam o fim do Antidemon, a banda já se encontra com seu novo Line Up pronto pra continuar o massacre. As baquetas ficará por conta de uma garota chamada Juliana, as guitarras, por Mauricio. O vocal e baixo, Batista. Agora só resta esperar pra ver. A banda estará fazendo sua primeira apresentação no interior de São Paulo ao lado de nove bandas, (25/11) no festival Diáconos Rock.

Teramaze está de volta

Para quem sempre se ligou nos lançamentos da Rowe Productions (Steve Rowe), deve se lembrar bem desse nome, Teramaze . No meu caso, li sobre eles na revista HM mag, e inclusive escrevi sobre eles no meu antigo fanzine 'Christian Rock' (Rip), que hoje é Sin Killer. Isso na época do excelente álbum, Tears To Dust. Rotular o Teramaze, de apenas Prog, limita e não é extamente verdade, pois a julgar apenas por esse álbum, tem muitas partes, speeding, melodic, thrash/power. Recentimente, a banda está divulgando sua volta e também um lançamento de um novo álbum. Para outras informações, acesse http://www.myspace.com/teramaze.

segunda-feira, novembro 20, 2006

Theocracy - Capa do fanzine Heaven's metal

Theocracy é capa da nova edição do fanzine 'heaven's metal' Nov/Dec/2006. Eles tocaram no último ProgPower Fest, com resenha na Roadie Crew de novembro. Para quem ainda não conhece a banda, vale a pena ir até o myspace http://www.myspace.com/theocracy ou http://www.theocracymusic.com/. Matt Smith é daqueles músicos que toca todos intrumentos e assim, faz seu trabalho, mais conhecido como one band man. O Thecracy já conta com um line up, mas ainda conta apenas com um álbum lançado, que é o self-titled.
Fãs de Majestic Vanguard, Narnia, Balance Of Power, Harmony, Rob Rock devem conferir esse material.

domingo, novembro 19, 2006

Gary Lenaire [ex Tourniquet] não é mais cristão?

Gary Lenaire, escreveu um livro recentimente chamado AN INFIDEL MANIFESTO - Why Sincere Believers Lose Faith. [Um manifesto infiel. Porque crentes sinceros perdem a fé.].
Para outras informações, acesse http://www.myspace.com/garylenaire .

Comentários do Dr. Michael Shermer
"Histórias de conversões são encontradas às dúzias em livrarias evangélicas. Já histórias de desconversões - ou seja, histórias de pessoas religiosas que mudaram de idéia e desistiram de suas religiões - são raras. Gary Lenaire lançou um relato intrigante sobre como ele de ser uma pessoa profundamente religiosa e cristão totalmente comprometido para se tornar um "infiel" secular, uma pessoa sem fé na religião. Nenhum cristão pode acusar Lenaire de não ser um crente verdadeiro, ou de ser desonesto, ou de ser tentado pelo Diabo, ou qualquer uma das desculpas dadas quando alguém abandona a fé. Gary Lenaire é um homem honesto com integridade e caráter, e deixou a igreja porque ela não fazia mais sentido racionalmente para ele. E esta é uma razão perfeitamente aceitável.Todos os crentes deveriam ler este livro; se não por outro motivo, pelo menos para testar sua fé, mas também para no meio do caminho testar a sua capacidade de pensar racionalmente, o que certamente é algo de bom para se fazer.
- Michael Shermer, editor da Skeptic magazine, colunista mensal da Scientific American, autor de "Why Darwin Matters.
Trad. heder Osny

Elgibbor - The unblack 'Unblasphemer'.

A cena 'unblack' tem feito sua história. Mesmo andando lentamente e carregando tudo que o Horde poderia passar como influência. E agora que o próprio Horde, deu seu maior sinal de vida, se apresentando no Nordic Fest 2006, pela a primeira vez, e então, o 'metal extremo' cristão agora tem mais uma dose de ânimo. Um novo nome a chamar atenção, é o Elgibbor, que apresenta muita influência do Horde, e também é mais uma one band man, ou seja, um projeto, onde um único ser, toca todos os intrumentos, e no caso desses, o resultado é ótimo, considerando que é um trabalho árduo que exige muita dedicação assim como muita afinidades com o estilo, mesmo que tenha soar tosco e caótico, precisa ser bem feito.
Elgibbor existe basicamnte desde 1999, da Polônia, formada por um membro da banda Boanerges, conhecido como Fire. Quem ajudou a colocar esse nome na banda foi o Unblasphemer, da banda Abdijah.
'Elgibbor' é a mistura de metal com muita inspiração na Bíblia assim como suas experiência pessoais', diz Fire. Com algumas demos lançadas, [Elgibbor - 2000], [Berit - 2002], [Satain is Defeated - 2003], [ Confessions - 2004], [Like a Lamb to the Slaughter - 2004], [Apolutrossis - 2004], [Halal-2005] e agora pelo o novo selo, Son of Man Records, solta seu primeiro ep, The Inextinguishable Blaze. Esse material conta com 7 músicas e algumas delas, estão no myspace deles.
O selo extreme records do Brasil, estará distribuindo The Inextinguishable Blaze.
http://www.extremerecords.org

sábado, novembro 18, 2006

Noite do Metal Fest II - 2007







Alphaville / São Paulo, 11/12/2006
Ig. Presbiteriana.
pic's & txt by Norman A. Lima
Hail to the King – Hail to the Angels!!
Quem foi que disse que tudo tem que ser tosco no underground? Foi isso que veio a minha mente, logo quando cheguei no local desse show, e percebi que fizeram algo bem organizado, muito diferente do que tenho visto nesses quase 15 anos de underground. Os flyers, os cartazes, t-shirts do show, e um belo stand da Silent Music eram o destaque na entrada. Fui praticamente recebido pelos caras do Seven Angels, meus amigos Karim e Eliézer. A equipe do Noite do Metal também foi super atenciosa (Thank for the great work and keep the good work for the God of Bible!!!)
Não foi possível chegar em tempo pra conferir o set da banda Saluz. E tive sorte de não perder uma parte do show do Seven Angels, já que o trânsito não foi muito amigo e ainda me deixou estressado, ops. O local e o palco eram muito confortáveis, e podíamos ficar bem próximos da banda e como o som estava ótimo, era certeza absoluta que eu ia agitar sem parar (Believe or not,) I'm a true headbanger). Risos. Gostaria de lembrar que foi desse mesmo lugar que o Seven Angels gravou o belíssimo clip, ‘Daydream’ que tem rolado no youtube e também está disponível no site da banda.O Frio desapareceu logo quando eles começaram com a paulada ‘Purify’, e o ótimo entrosamento e performance incrível de ambos os músicos, era capaz de levantar até os mortos. (Ops again!!). Wow... ‘I Handfull of Sand’ uma das grandes músicas de Faceless Man, e essa não poderia faltar. Um verdadeiro mix de power e prog pra num deixar ninguém parado. Aqui, nesse momento, eu pensava, será que eles podem fazer mais que isso??? Os backings foram feitos nessa música pelo o ‘drum killer’ Eliézer. E o show continua com a Beyond The Dark Side of The Moon, essa mais com uma veia thashing nos riffs e vocais limpos, complexo e igualmente killer!!! Chegamos em Nothing Else Matters, ops Nothing Besides Dust, essa com uma intro num estilo que o Seven Angels faz e toca com classe, Power Metal! ‘Unseen Truth’ veio na hora certa, pra acabar com tudo, claro que de um ponto de vista saudável. Essa é minha favorita, tem um refrão excelente e uma música que mistura momentos rapidíssimo com melódico, deixando interessante e marcando demais essa apresentação, que já tinha me deixado satisfeito. Mas o set nem tava na metade ainda. E mais uma do Second Floor , ‘Revelation’. Depois Walking Over All The Seas, mais uma daquelas músicas aberta a técnica dos músicos, e também uma atuação mais intensa. Chegamos numas das parte boas desse set, o cover, que não me pegou exatamente de surpresa, porque havia sido avisado minutos antes do show... Bom , Ark Of Suffering do Tourniquet foi um ‘presentão’, e contou com a infalível execução dos músicos. Os vocais, claro, não foi a Débora que fez, e sim, o guitarrista Regis, (This guy rule!!) O baterista Eliézer não toca, ele espanca!!! Imagine esse cara fazendo blast beats?
‘Daydream’ essa era bem aguardada e ela prometia sugar nosso resto de energia e não sei mais o que dizer dessa banda no quesito performance ao vivo. Sorry – me falta palavras...Em ’From Now To Eternity’ ainda estávamos empolgados como se fosse a primeira música. A que parecia ser a última, Breathless Years, foi tocada antes, e o final ficou por conta da The Second Floor, e eu achei ótimo! Essa música merecia fechar esse show. E o final desse set contou com uma performance de todos os músicos, e queria mais uma vez ressaltar a técnica dos músicos, e só mesmo ao vivo pra ver e sentir o que esse caras podem fazer. ‘As pratadas x baquetadas + pedal/bumbo-duplo e a precisão que o Eliézer faz com sua bateria, são memoráveis!!! Por isso que o chamo um ‘drum killer’. Play and Kill...
Karim e Regis dividem as partes de guitarras perfeitamente. Débora, uma frontwoman that killer in all the time! O Baixista Gustavo, um cabeludo, que toca e agita muito. Como disse no começo desse review, foi um show que não esquecerei tão fácil. Valeu apena ter arriscado desafiar a distância. Great show, great friends! That’s all to me! Um ‘especial thank’ para o pessoal do Noite do Metal fest. (Thank for the t-shirt) and Stay metal for the God of Bilble. In 2007, I’ll be there, and I hope see many metal fans ‘headbangging’ for Christ. All the best, guys!!!

segunda-feira, novembro 13, 2006

Jacob's Dream - "Dominion of Darkness'

Como os fãs já estão sabendo, Jacob's Dream se encontra ocupado com o novo CD. "Dominion of Darkness", do qual a banda revela que este álbum será mais 'dark' como o próprio título sugere. Eles sairam da Metal Blade, e estão pensando em fazer esse álbum de forma 'indie', pelo o menos por enquanto. E alguns dos tracks são:
J.L.K.
End of Days
Embraced by Sorrow
Dont talk to me about love
Antikythera
Hands of Doom
Death before Dishonor
Cant Break
O novo site estão com um novo 'visual'.
http://www.jacobsdream.us/news.htm

Lance King Deixa Pyramaze

Por algumas razões, Lance King (Ex Balance Of Power) não é mais o vocalista da banda prog power metal Pyramaze. No entanto, de acordo com a própria nota de Lance King, isso ocorreu de forma amigável, no qual ele ressalta o ótimo relaciomento com os integrantes, e que foi um grande tempo de 'Pyramaze' pra ele.
Lance King: "I would like to thank the Pyramaze guys for many wonderful memories, I'm very proud of the music we created together! I wish each and every member of the band success in their careers and personal lives, as well as their search for a new vocalist. I look forward to hearing their new music.
O Pyramaze tocou nos principais festivais de metal de 2006, como o Prog Power (USA), que tem matéria na Roadie Crew desse mês. Vejam as fotos desse e dos demais festivais no site deles.
"http://www.pyramaze.com
Lance King também canta em outros projetos e também está gravando o novo do Avian.

domingo, novembro 12, 2006

Horde - Pics and DVD from Nordic Fest 2006 (Review)




Hail Metalheads - Hail Horde Fans!
Fotos do Horde no Nordic Fest estão nesse link. Horde Pics - e de todas as bandas que tocaram no festival.
As Pics do Horde  não estão boas,  os caras do Drottnar num visual  mascarado. Anonymous mantendo o mistério.
Outra novidade, é que, dessa apresentação pode ser feito um DVD, do Horde, e também do Paramaecium, que fez seu último show  com esse nome, e um mine set, já com o atual nome inExordium depois da apresentação Paramaecium.
Review do Horde no Nordic Fest

A brutalidade do Horde alcançou uma nova dimensão. A sua performance no Nordicfest demonstrando sua fúria implacável e seu black metal sombrio e belicoso renderam à cena black metal o mais pesado, intenso e verdadeiro show já visto. Após a lendária intro “A Church Bell Tolls Amidst the Frozen Nordic Winds”, veio a sensação constante de ser atropelado por um trem em velocidade vertiginosa repetidamente! Meu pescoço ainda dói depois daqueles 40 minutos de bangueamento quase incessante. O set list do show foi:
1. A CHURCH BELL TOLLS AMIDST THE FROZEN NORDIC WINDS2. BLASPHEMOUS ABOMINATION OF THE SATANIC PENTAGRAM3. BEHOLD, THE RISING OF THE SCARLET MOON4. THINE HOUR HAST COME5. RELEASE AND CLOTHE THE VIRGIN SACRIFICE6. SILENCE THE BLASPHEMOUS CHANTING7. INVERT THE INVERTED CROSS8. AN ABANDONED GRAVE BATHES SOFTLY IN THE FALLING MOONLIGHT9. CRUSH THE BLOODIED HORNS OF THE GOAT10. THE DAY OF TOTAL ARMAGEDDON HOLOCAUST.


Para mim, que sou considerado por alguns como o mais fiel fã de Horde, é quase impossível apontar os destaques. Mas devo dizer que “Release and clothe the virgin sacrifice”, “An abandon grave bathes softly in the falling Moonlight” e “The day of total Armageddon Holocaust” podem ser descritas como algo próximo a um orgasmo auditivo...
O unblackmetal old school e apocalíptico do HORDE possui a brutalidade intensa do Mayhem, a frieza macabra do Dark Throne e os vocais ríspidos do Immortal, mas usados de forma diferente, mais extrema. E acima de tudo, o Horde conhece a grandeza do Todo-poderoso Senhor Eterno. Anonymous executou o trabalho de bateria e os vocais usando um manto negro que cobria sua face, e sem cometer o menor erro. Com toda a certeza, este foi o melhor concerto que o mundo jamais experimentou! Hail, poderoso HORDE!!! LOUVAI AO SENHOR ETERNO!!!
txt by pilgrim bestiarius.E-mail: crimson_pilgrim@hotmail.com
Trad. Heder Osny/Norman Lima

HOPESFALL COMEÇA A GRAVAR NOVO DISCO

O Hopesfall entrou recentemente em um estúdio em Long Island para começar a trabalhar em um novo álbum.
A produção desse próximo trabalho, sucessor de “A Types”, será assinada por Mike Watts.
O lançamento do novo disco está previsto para o primeiro trimestre de 2007.
http://www.myspace.com/hopesfall
Fonte:. http://www.dynamite.com.br/

ADIASTASIA [PB] In Power Metal We Trust [entrevista]

Adiastasia, [power melodic metal] com esse priemeiro full, Life War lançado pela a Bombworks, chamará atenção dos fãs de bandas, como Wizards, Dynasty e Seven Angels, Seventh Avenue. É verdade que por aqui a banda ainda não é tão conhecida, mas isso é uma questão de tempo e vamos ver como vai ser a divulgação desse incrível cd. O line up é formado por Jeff Winner ( Lead Vocals), Janinho Di’Nizz ( Guitars) , Ryvson Lacerda (Keys), Joab Marynne (Bass) Dinho Caetano (Drums). Eles estão com planos para morar em São Paulo em 2007. E mais um pouco sobre eles, você fica sabendo na entrevista a seguir, com o vocalista Jeff Winner.
By Norman


Sin Killer - Eu achei a capa de Life War excelente! Por favor, poderia falar sobre isso... Quem fez, e qual sua conexão com as letras... E a mensagem principal ...

Jeff Winner - Hum.. ‘Life War’ é um disco altamente conceitual, a capa é ligada ao assunto principal do disco, que é a guerra, claro que a ‘guerra’ a qual me refiro nas letras é uma guerra no reino espiritual e o conflito interior do ser humano, os temas vãos desde a ficção de uma guerra cósmica de anjos, demônios e seres humanos onde existe um escolhido de Deus que foi chamado para liderar um exército. você vai dizer que eu sou viciado em RPG (risos).. Meio pentecostal não acha?
É mas, também trata-se sobre o maior fantasma que o homem enfrenta nos dias de hoje que é a depressão, o medo, a duvida... Fala também dos sentimentos fraternais como amizade, sobre a fé, a perseverança, os sonhos que ainda não foram realizados, são temas bem comuns nos homens e o álbum trata profundamente desse assunto, tudo num clima cristão não apelativo, mas sem mascara, voltado 80% aos que ainda não voltaram para a Casa do Pai .
Bom tentando falar da capa, eu acabo falando no assunto do disco, (risos).. Empolguei-me.
Mas acho que com isso dá pra explicar.
Sim... Quem criou a capa fui eu (risos).. Obrigado pelo elogio [Risos] Deus é heavy, ele sempre nos supre de tudo. Gloria à ele.

Esse cd, deve ser consumido por fãs de bandas como Seventh Avenue, Seven Angels, Dynasty, Wizards... Você concorda comigo? Risos!!! [Eu sou fã de todas bandas citadas...)... Tem mais algum nome que você adicionaria a esta lista?

Bom Norman, eu creio que sim, Adiastasia é uma banda para pessoas que curtem esse estilo mais power metal mesmo, apesar de sempre ousarmos sair um pouco , encaixando uns detalhes prog nas musicas, e uns toques de Symphonic metal, no fim acredito que se encaixa dentro da linha power que é a característica mais forte da banda.

O fato de vocês não serem conhecidos por aqui, mas assinar com o selo americano, Bombworks, (Seven Angels, Holy Blood, Pale Horse, Amos, Venia) a banda terá seu nome bem exposto na cena metal. O que você está achando disso? Qual o retorno que você estão recebendo?

Isso é mais uma grande da parte de Deus. O fato de não sermos conhecidos e logo no nosso primeiro álbum já estarmos juntos dessa galera boa, pra mim foi milagre de Deus. Acredito que vem coisa boa por aí, na verdade eu sempre espero coisas grandes pois nosso Deus é grande .
O metal Cristão tem muito pra mostrar ainda pra essa galera heavy.
O retorno??... Não sei te dizer, espero oportunidades, espero poder alcançar nossos sonhos , mas Principalmente que possamos ver frutos espalhados por aí.

Como é a cena local de sua cidade? Existem muitas bandas, fanzines bons por ai?

A Paraíba é um celeiro e tanto, tem muito a crescer, o que posso dizer?
A cena secular tem crescido muito em relação à Cristã, temos muitos jovens que estão despertando para a visão, mas como todos que um dia viram o começo das coisas, eu ainda vejo uma cena bem adolescente, se é que me entende.

Você disse que cantou em bandas secular antes de formar o Adiastasia? Me conte um pouco sobre esse tempo...

Oh my Darkness time.. risos
Eu cresci com meu pai escutando bandas como Led Zepelim, Scorpions, e uns Brazucas também.
Apesar de ser nascido numa terra conhecida como a sede do maior São João do munndo, o forro e o Axé, não me entravam de jeito nenhum.
Comecei na minha primeira banda aos 16, acredite ou não eu cantava death, risos..
Aos 17 eu entrei numa banda onde eu já começara a cantar Iron Maiden , Helloween e fiquei nessa banda até o dia da minha conversão, em dezembro de 1999. Gloria Deus! Estou em Cristo a 7 anos. Ufa... Ai você sabe né ? Antes era sexo, Drogas, Drogas, Drogas, Drogas e Heavy metal. Mas graças a Deus eu to aqui vivo para contar a historia.

Quem você citaria como influências para o Adiastasia? Uma atitude, uma banda...
Hum .. Essa não era pra ser, mas acaba sendo a mais pesada sabia?


Temos influencias de bandas como Helloween, Stratovarius, Dream theater, Angra, Rob Rock, Stryper , Seventh Avenue, entre outras dessa linha Heavy, power, melódico e prog.

Vocês estão num selo cristão e a banda é formada por cristãos. Então obviamente serão rotulados de white metal ou banda cristã. O que você tem a dizer sobre isso ?

Você riria se soubesse que eu ainda não sei qual é a diferença entre W M e M C ? O fato de não estarmos preocupados com o rotulo, e sim com o que devemos fazer para mostrar diferença, é o motivo de nunca termos saído a procurar as diferenças entre esses rótulos.
Bom se nos rotularem disso ou daquilo não importa, o que importa é se estivermos dentro do propósito do Pai, e cara se estamos nele e ele em nós, ele esta acima do rotulo e pode fazer infinitamente mais do que possamos imaginar.


Você acha que sua banda é mais um jeito do metal cristão ser visto com mais credibilidade, já que muitas bandas pecam nesse sentido.

Essa também ta difícil...
O Adiastasia desde o inicio sempre almejou por fazer tudo sempre dando o nosso melhor, pois como já falei para muitos e repito agora, Deus merece o melhor, então não fazemos para sermos melhores que ninguém, mas para dar a Deus o melhor que podemos fazer.
Se isso resultar de alguma forma na maneira como as pessoas passarão a ver o Metal Cristão, e se nisso nós recebermos algum tipo de credito, significa que aquele que esta acima de tudo e de todos ficou satisfeito, e pra mim é o que importa
.

Pregações ou para alguns '“bible bashing”, hoje em dia são muito raros em show de bandas cristãs. O que você acha que aconteceu? As bandas não querem perturbar os fãs de metal, ou não querem falar daquilo que não vive... (Que fique claro que não me refiro... a todas ...)

Eu particularmente gosto de trazer uma palavra em shows, isso é uma de nossas características, apesar de não fazer sempre, pois sou bem prudente quando se diz respeito a ganhar almas, se eu estiver em um show, e a banda que tocou antes da nossa já tiver feito uma pregação, não vejo motivo para eu trazer outra pregação, como se o Espírito já não tivesse falado antes da gente tocar e mesmo assim ainda vou ministrando durante as musicas, já fomos muito criticados por deixar de pregar em um show ou dois, só por não achar que devo completar algo que já foi feito.
Não sei dizer ao certo o porque de muitos terem parado de pregar, mas como eu tenho umas raízes pentecostais poderia dizer que nem todos têm o dom da palavra.
Mas uma coisa é certa, a palavra é essencial nos shows, sem isso não temos como chegar ao real objetivo do METAL CRISTAO.

Muitas bandas escolheram seguir algo mais comercial e profissional musicalmente. Ou seja, muitas dessas não tocariam de graça pelo o simples motivo de levar mais gente pra igreja... Mesmo tendo a maior parte de seu público no meio cristão.
Você encara isso naturalmente ou tem algo a dizer?

Cara, encaro naturalmente.
Se o metal Cristão nacional fosse profissional, talvez fosse levado a serio.
Temos exemplos no Brasil, que mesmo não sendo metal puramente falando, podem ser usados.
Aqui costumamos fazer shows em prol de alguma extrema necessidade da banda, cobramos um valor simbólico de R$3,00 e com muita divulgação, conseguimos por 300/ 400 pessoas na casa.
Se o Oficina G3 vier tocar aqui, eles cobrarão um cachê enorme, e o valor do ingresso varia entre 10,00 e 15,00. ( Casa Cheia)
E os caras estão fazendo a obra, ganhando pessoas para o Reino, a diferença é que eles conseguiram entrar para o ramo profissional da coisa, isso valorizou a classe deles, porque não se pode fazer o mesmo em relação ao Metal propriamente dito?
Já vimos que o Brasil curte metal com força, temos aqui bandas que são referencia no mundo todo, como o Angra, shaaman e Sepultura, são bandas secular mas são brasileiros como nós, os caras tão no mainstream, nas gravadoras e revistas.
Eu creio que se o preconceito e o descaso por bandas que levam o trabalho a serio mas ainda não são conhecidas, acabar, quando esse tipo de mesquinharia dentro do nosso metal abençoado for expurgada... Meu amigo, tú verás a glória que poderá ser.


E sobre o CMF e Zadoque, o que você acha do que eles tem feito pela a cena cristã?

Não sei te dizer, pois ainda não tive experiências
com eles, eu fico neutro por enquanto.

Quais seriam os 5 melhores álbuns de metal cristão?

I.G.W.T- Stryper
Against the Law - Stryper
Holy Hell- Rob Rock
Long Live The King – Narnia
Answer to the Master -Impelliteri

E sobre os vocalistas, quem seria suas influências?
Bruce Dickinson, Michael Kiske e André Matos.

Thanks Jeff... Let us your last words... and Stay power for christ!

Pois é.. Considerações finais, não é meu forte, mas lá vai..
Que Deus abençoe a todos, que possamos nos encontrar por aí nos shows da vida, espero que curta o Nosso primeiro Álbum, que esse possa ser fonte de benção na vida de vocês. And Stay power of Christ. Metal Forever And Jesus praise for all eternity.

sábado, novembro 11, 2006

Lengsel - the kiss the hope [Novo álbum]

Os fãs de metal extremo conhecem muito bem o Lengsel! Conterrânios do Extol e também, o guitarrista Tor Magne, já saiu com eles em Tour. Lengsel é um das grandes bandas de black metal 'cristão' da noruega. Não eram adeptos do corpse paint bands, mas isso não interferiu no seu sucesso entre os mais radicais...Puristas... Seu primeiro full, Solace, (2000) recebeu uma ótima atenção da cena underground e também recebendo grandes reviews em revistas e zines.
Eles estiveram um pouco sumidos, é verdade. Mas agora estão com um novo material, o segundo, The Kiss The Hope, pronto pra sair esse ano, precisamente em Dezembro/2006 pelo o novo selo deles, o Whirlwind Records [Pantokrator, Saphena]. Line Up: é Ole Halvard Sveen - guitar / vocalsTor Glidje - guitarJohn Robert Mjåland - bass
Para ouvir uma música desse novo álbum, é só ir no myspace da banda.

quarta-feira, novembro 08, 2006

HORDE!!! PRAISE THE ETERNAL ONE !!!

Horde ao vivo, por essa, nem o chifrudo esperava. O criador do unblack metal, o polêmico Horde, tocou no Nordic Fest desse ano, Novembro/2006. Muitos estavam curioso pra saber quem seria o Line Up pra essa primeria apresentação, e aqui está. O baterista Anonymous (Dono do Horde) fez também os vocais, e os caras, do Drottnar, baixo e guitar.
http://www.myspace.com/helligusvart

A igreja Zadoque acabou.

Comunicado sobre o fim da zadoque.
São Paulo, 05 de novembro de 2006. “ A TROCA DAS VESTES ”
Em Novembro de 1998 nasceu a Comunidade Zadoque, um sonho de Deus de
fazer existir um povo reto e que buscasse a santidade em toda a sua
jornada e aliado a isso buscasse ser gente que transtornasse esse mundo
através do Evangelho.
Diante de tantos escândalos e desvios do alvo que Deus coloca a sua Igreja na terra, onde um número infindável de ministérios tem manchado suas vestes pelas investidas do diabo, através de corrupção e adultério de seus valores, o 'todo Poderoso' levantou esse povo remanescente para ser o contrário do que vemos e ouvimos dessa grande maioria de ministérios espalhados pelo mundo. Deus quis e quer um povo santo e verdadeiro, que o ama e sejam testemunhas Dele em nossa cidade, estado, nação e até aos confins da terra!
Nesses oito anos de Comunidade Zadoque, muitas foram às investidas de satanás e infelizmente
esse pacto de justiça e retidão fora quebrado e as vestes brancas manchadas por algumas situações, entre elas o adultério e a rebeldia.
Hoje a Comunidade Zadoque sofre claramente os efeitos materiais e espirituais disso, pois burocraticamente o nome Zadoque está em posse de pessoas que mancharam essas vestes e no papel ocupam ainda o cargo de presidência. Por mais que se tenha tentado um resgate desse nome, a cada dia isso foi ficando mais travado e distante de ser resolvido. Aliado a isso temos sofrido em todas as áreas de nossa igreja, uma seca muito grande e uma demasiada estagnação que hoje não temos mais dúvidas, que estão sendo ocasionadas por essas situações mal resolvidas, as quais habilitam o inferno a persistir legalmente contra esse povo. Além disso,
alguns membros da Comunidade Zadoque estão sofrendo de uma crise de identidade muito grande que até hoje não conseguem enxergar e/ou aceitar exatamente quem são seus líderes e pastores no tempo presente.

Talvez por estarem embaixo desse domínio manchado e terem em seus corações situações
indefinidas, dúvidas, desconfianças, opiniões divergentes diante do que Deus já confirmou para um novo tempo. O fato é que essas situações se convertem em uma arma poderosa que satanás vem usando para nos travar, pois se pessoas não aceitam sua liderança elas próprias estão sem
cobertura e se colocam como presas fáceis de nossos inimigos espirituais.
Essa que é a maior mancha dessas vestes se chama REBELDIA.Isso faz com que um povo esteja travado e se afundando a cada dia mais em um terrível atoleiro. Diante de tudo isso o próprio Deus não mais tolera essa situação e vem contra isso com destruição como sempre o Todo Poderoso agiu em casos como esse: Com fogo consumidor, pois Ele mesmo não admite a
mentira e a rebeldia e não quer que continuemos com nossas vestes sujas.
Assim como Josué estava diante de Deus com suas vestes sujas e satanás pronto para acusa-lo com direitos legais, e diante disso o próprio Deus ordenou que suas vestes fossem trocadas (Zacarias 3:1 ao 7), Deus ordena a nós como povo que não podemos mais usar as vestes da Comunidade Zadoque.

Elas devem ser queimadas e trocadas por vestes novas e brancas e, além disso, assim como Josué poderemos adquirir vestes novas e um turbante de honra sobre nossas cabeças. É tempo de se começar algo novo, puro, sem mistura, sem manchas! A honra de uma segunda casa que
certamente será muito maior que a primeira e pela misericórdia de Deus, sem manchas! Pois não terá nada a ver com a primeira, não terá o mesmo nome, não terá os mesmos líderes, não terá o mesmo povo. Mas sim... Tudo a ver com a vontade de Deus, um novo nome, líderes e povo transformados e mais do que nunca dispostos a não mancharem suas vestes com nada e que
vivam de verdade e nunca de aparências! A Comunidade Zadoque acabou! Foi destruída pelo fogo consumidor do Deus da Justiça e Retidão! Talvez poderíamos continuar com a mesma falsidade e mentira que muitas Igrejas tem continuado, mas é preferível a morte do que tentar ser assim e ser vomitado da boca de Deus!
Começa hoje dia 05 de novembro de 2006, uma nova igreja, um novo nome, um novo povo, uma nova liderança, uma nova História. Nasce hoje a CRASH CHURCH!!! Church: Igreja (a noiva de Cristo adornada e sem manchas). Crash: Estrondo, impacto. Muitos serão os significados desse
nome, pois fora revelado pelo Próprio Deus, mas podemos resumir que essa >igreja será uma igreja de Cristo como Ele quer, que provoque muito estrondo na terra, impactando o mundo com o Poder de Deus, transtornando a tudo e a todos com uma revolução de salvação e muito fogo do Espírito Santo. Você que era membro da Comunidade Zadoque está totalmente livre para entender em Deus o que Ele quer para sua vida.
Se você entende de Deus que a CRASH CHURCH é a sua igreja e os seus líderes são constituídos por Deus e está disposto a começar uma História totalmente nova e verdadeira, seja bem vindo! Estamos começando tudo novo, e passo a passo cada igreja e cada membro será recebido e como líderes colocaremos em suas mãos tudo o que Deus nos ordenar. Deus abençoe tanto aos que farão parte desse novo ministério, como também aos que fizeram parte da Comunidade Zadoque e não estarão conosco a partir de hoje, lembrando que tudo o que você fez, faz
ou fará, sendo isso feito para Deus, receberá de Suas Próprias mãos toda
a sua recompensa.
Antonio Carlos Batista e Juliana
Batista Líderes e fundadores da CRASH
CHURCH Underground Ministry.
Pic:. Jesus Freaks site

terça-feira, novembro 07, 2006

Olaf Hayer continua firme com Luca Turilli

Idéia é continuar clássico do Helloween.
Luca Turilli, o guitarrista italiano Luca Turilli, do Rhapsody Of Fire (antigo Rhapsody) já iniciou o processo de composição de seu quarto álbum solo, que ele definiu os detalhes enquanto gravava o segundo trabalho do projeto Dreamquest, em Wolfsburg, Alemanha.
"Posso garantir que meu próximo trabalho solo vai ser o disco que sempre sonhei fazer", garante Luca Turilli, em nota oficial. "Olaf Hayer vai ser um herói nesse trabalho. Sempre achei a voz dele similar à de Michael Kiske e não posso negar que fois graças às duas partes de Keepers Of The 7 Keys (álbum do Helloween dos anos 80) que eu me apaixonei pelo estilo."
Baseado em seus trabalhos favoritos, Turilli resolveu viajar na imaginação. "É uma visão muito louca. Minha idéia é fazer um Keeper Of The 7 Keys imaginário, uma terceira parte que eu adoraria ter feito junto com Kiske em 1990", sonha o guitarrista. "Vai ser uma verdadeira homenagem ao power metal melódico com refrãos bem melódicos. Mas isso é apenas parte do plano, Quero também incluir coros grandiosos, orquestra gigantesca e convidados muito especiais. Esperem para ver, meus amigos!"
Enquanto isso, o último álbum do Rhapsody Of Fire, Triumph Or Agony, saiu em setembro através do selo Magic Circle Music, de propriedade de Joey DeMaio, baixista do Manowar.

+++ +++ ++++

Fonte - [Agência Rock Brigade]
http://www.rockbrigade.com.br/

[Sin Killer ] - Olaf Hayer [ (Dionysus, Luca Turilli, Lord Byron, Treasure Seeker]
é muito conhecido entre o público cristão, e gravou o clássico álbum do Treassure Seeker, um tributo aos pioneiros do metal cristão, chamado... A Tribute To The Past. Lançado no Brasil pela a Megahard.
Ele também passou pelo o Chryztyne [Com apenas um álbum gravado, Tales of Paradise , 93 ] uma banda formada por ex membros da extinta Saint Attack, uma das primeiras bandas de metal cristão da Alemanha. E se dependesse dele, faria um A Tribute To The Past parte 2.

domingo, novembro 05, 2006

Caverna de Adulão - Uma alternativa (Fora da igreja)

Caverna de Adulão apesar de ser formado por cristãos, não se trata de uma igreja, ou muito menos se parece, com trabalhos undergrounds como o CMF, Zadoque.

Underground... que papo é esse?

OS DEFORMADOS
OS SUJOS E DESPREZÍVEIS
OS INSANOS E LOUCOS
OS HIVs +
OS TRANSEXUAIS
OS ANTI-CRISTO
OS DIFERENTES E ANORMAIS
OS SUBUMANOS
OS “ SEM DEUS”
----ONDE ESTÃO ???

...CONFINADOS NOS ASILOS DO
PRECONCEITO DE CADA UM.
...GRAVADOS NO CORAÇÃO E NA
MEMÓRIA DE UM DEUS SANTO
E MISERICORDIOSO, QUE UM DIA HÁ DE
JULGAR TODA A TERRA!
Quer ler um txt que pode confrontar e seus conceitos sobre o cristianismo? Click aqui.
A cena cristã realmente precisa conhecer sua história...

Para ler uma entrevista com Fabio Carvalho... Click aqui

Skin For Skin o novo do Bride

Os fãs mais afcionados do Bride, já pode conferir um dos primeiros reviews de Skin For Skin [Retroactive] no site http://www.angelicwarlord.com/, outra opção é o myspace. A banda está promovendo nessa tour, esse novo material que inclui o Brasil, onde farão vários shows por aqui. Em São Paulo, contarão com as open act, União, Dracma e Destra.
Data: 15/11/2006 às 18h Local: Victória Hall - Rua Baraldi 743, Centro, São Caetano do Sul (SP)Info: (11) 5562-9899 ou 9812-1661. Mais info:. http://www.supersoulmedia.com.br/

Azmaveth - The unblack horde from Puerto Rico

A cena de Puerto Rico nos chega com com um ótimo impacto... Um holy unblack metal fielmente praticado e também com total vingança e ódio ao inferno. Azmaveth não é uma banda que está apenas preoculpado com seu estilo musical, e fazê-lo o mais desgraçado possível, pra converter os satanista e divertir os cristãos. Não, a banda surgiu em 98, com o nome Exousia, e depois que descobriram que já tinha uma banda com esse nome, mudaram para Azmaveth. Eles ainda contam que, a banda surgiu em meio a frieza e decadência que acontecia por volta de 99, onde ninguem queria pregar na cena metal e então o Azmaveth entrou em cena. As letras questionam e reprovam as falsas doutrinas, a religião que cegam os homens. Em suas músicas eles exaltam Jesus Cristo e seu trabalho transformador. A demo que eles me mandaram tem apenas 3 músicas, mas a notícia boa é que eles assinaram com a Bombworks, e o debut deve sair ainda esse ano. The scum of the earth that you master has already been defeated, é a referência do som deles, mas esteja certo, que aqui tem metal extremo pra não deixar passar nada. Quem ama esse tipo de música, Asmaveth é um pedido certo, por outro lado pode soar uma afronta aos satanistas. Quer mais informações. No myspace tem. Vamos aguardar Strong as Death, primeiro álbum da horda Asmaveth. Baixe uma música aqui
Stay brutal for Christ!

Hope Has Failed Us - Grave esse nome

Quem é que não está ligado nos lançamentos da Bombworks Records? Hope Has Failed Us [Esse nome é extremo, não acham?] é mais uma banda que promete explodir. O som vai de um furioso hardcore ao death metal e no myspace você pode conferir 3 músicas desse álbum, Epitaphs and Eulogies, prometido lançamento pra esse ano ainda. O primeiro nome da banda era Short Life Crisis, mas após uma mudança de Line Up, sugerido pelo o selo. escolheram Hope Has Failed Us, por soar mais apropriado e também pra fugir do nome anterior. Vale apena dá uma lida na bio deles...
Quem são? Vocals: Matt Hays Guitar: John Parker Guitar: Hal Wagner Bass: Paul DavisDrums: Corey Loftin. Influências
Lamb of God, Unearth, As I Lay Dying, Zao, Iron Maiden, Metallica, Darkest Hour.

sábado, novembro 04, 2006

ADIASTASIA – Power Metal from Brasil

Adiastasia, com esse priemeiro full, Life War lançado pela a Bombworks, chamará atenção dos fãs de bandas, como Wizards, Dynasty e Seven Angels, Seventh Avenue.
É verdade que por aqui a banda ainda não é tão conhecida, mas isso é uma questão de tempo e vamos ver como vai ser a divulgação desse incrível cd. A capa ficou linda, até o momento, ouvi apenas a faixa, Father Of Light, o suficiente pra adquerir esse material. O line up é formado por Jeff Winner ( Lead Vocals), Janinho Di’Nizz ( Guitars) , Ryvson Lacerda (Keys), Joab Marynne (Bass) Dinho Caetano (Drums). Por enquanto só tenho a dizer o seguinte, que esse álbum tem que vir logo pra minhas mãos, pra consumí-lo por inteiro... fantastic melodic metal from my holy land... Great guys... Great music! Great Power... Killer backings... Vocal excelente! Guitarra/solos maravilhoso. Produção, ótima! E pelo o que estou sabendo, já estão preparando o segundo álbum, que deve superar, Life War, conforme informação da própria banda ao site Strike

Seraphim ocupado com o novo álbum



Melodic power metal from Taiwan

Seraphim é uma banda de melodic power metal, com vocais limpos, líricos, diferente do Nightwish, pois os vocais tem o apoio de vocal mais extremo, ativo, o que torna a música do Seraphim mais versátil e interessante. A banda foi formada em 2001, e o significado do nome Seraphim está no livro da Biblia, precisamente em Isaias 6, conforme citado na biografia deles. O sucesso da banda, pode se considerar muito, pelo o curto tempo de estrada. Já lançaram 3 álbuns, The Soul That Never Dies (2001), The Equal Spirit, Ai (2004), e Rising (2006). A banda também participou de várias coletânias de metal. Aqui no Brasil, o público do Seraphim, talvez esteja mais dentro da cena cristã, onde muitos pensa que eles são uma banda cristã, ou white metal. [Os músicos já disseram que são cristãos). Apesar do metal de Taiwan, não ser muito conhecido por aqui, o Seraphim tem feito um ótimo trabalho, estando nas principais publicações de metal, impressas e on line, ou seja, mostrando a cena de Taiwan para o mundo. Shows com grandes nome do metal também faz parte de sua história. Pra quem tem acesso a internet, é muito fácil encontrar eles. Confiram uma recente entrevista com eles, no site http://www.power-metal.co.uk/

sexta-feira, novembro 03, 2006

Mortification na Roadie Crew de Novembro




Mortification é uma das grandes entrevistas da edição de novembro da revista secular, Roadie Crew, especializada em heavy metal. Thiago Sarkis fez ótimas perguntas, abordando os principais momentos da história do Morty, dentro da cena ‘Metal Cristão’. Steve Rowe dá sua opnião sobre o black metal, e também responde a clássica pergunta da revista, Os 5 melhores álbuns...
Vale apena conferir essa edição..

TRABALHO INÉDITO DO TROUBLE SAI EM FEVEREIRO

O novo álbum da banda Trouble, um dos maiores nomes do Doom Metal, será lançado no dia 20 de fevereiro via Escapi Music. Esse será o primeiro álbum do Trouble desde o lançamento de "Plastic Green Head" de 1995.
O novo álbum foi produzido por Vinny Wojno (Machine Head, Kreator) e a formação conta com o vocalista Eric Wagner, os guitaristas Rick Wartell e Bruce Franklin, o baterista Jeff Olson e o baixista Chuck Robinson.

O track list é o seguinte:

01. Goin' Home
02. Mindbender
03. Seven
04. Pictures of Life
05. After the Rain
06. Trouble Maker
07. Arthur Brown's Whiskey Bar
08. Simple Mind Condition
09. Ride in the Sky
10. If I Only had a Reason
11. The Beginning of Sorrows
Fonte - Roadie Crew

Dica de Livro: Uma vida com propósito. Autor:. Rick Warren

Uma vida com propósito. Autor:. Rick Warren
É bem provável que alguns pense, como pode um metalhead como eu, está lendo um livro em que nada tem com o Rock. Obviamente, livros com o assunto ‘Rock’ me atrairia facilmente, mas Uma Vida com propósito, é desafiador, e o interesse por ele, apareceu quando vi Rick Warren sendo entrevistado por Larry King.
Fiquei impressionado com sua história e vida. Ao lado do título do livro, também está 'Qual o sentido da vida?, Rick escreve com muita sabedoria e é uma boa opção pra quem se frusta com a maneira que os livros de auto-ajuda trabalha esse tema. Os cristãos se sentirão testados, já que muitos assuntos são bem esclarecidos, com uma orientação cuidadosa, levando a você pensar em quem é, dentro e fora da igreja, ou como leva sua vida de cristão como diz ser, lendo como Deus quer que seja. Pra quem quer saber, de um ponto de vista espiritual e humano, tudo sobre a sua vida, Rick Warren, tem a resposta, de acordo com sua visão e referências bíblica, que concretizam sua palavras, nos levando a uma reconversão. Para quem quer ler a entrevista dele no programa do Larry King, click aqui.
E boa leitura. E se quiser me contar o que achou desse livro, eu gostaria muito de ouvi-lo. Thanks Rick.
By Norman

Divinefire Novo álbum + Video.

A banda DivineFire, lançou recentimente o álbum INTO A NEW DIMENSION, e eles colocaram em seu myspace o video da música, FACING THE LIAR desse novo álbum, um excelente clip, onde podemos ver o Christian (Narnia) rasgando sua voz, com o apoio de , Jani Stefanovic - Guitars, Drums and Keys . que faz as partes de vocais extremo, o que marca o som da banda, um real speeding melodic metal. Headbanging sound!
A banda tocará no Nordic Fest desse ano, ao lado de Paramaecium, Extol entre outras. O Japão deu muita atenção para o DivineFire, o que os rendeu uma Tour por lá, assim como um bonus no cd. O video está logo no Final dessa página. Ou você pode assistí-lo direto no myspace.

quinta-feira, novembro 02, 2006

ROWE PRODUCTIONS SOLTA MATERIAL NOVO


Jesus Revolution Evangelistic Metal!
Rowe Productions, a gravadora de Steve Rowe (Mortification), está lançando o primeiro trabalho das bandas, Scourged Flesh (Released From Damnation) e Grave Forsaken (Beside The River Of Blood), ambos já disponível pela a
Soundmass. Steve Rowe comenta, que essas bandas tem uma influência muito grande do velho Morty, inclusive nas letras, totalmente evangelística. Fãs de death/Thrash deve conhecer essas bandas, porque Steve sabe e vive o que fala, e eu e você, sabe disso... Para ouvir o som deles, chequem o myspace nos link abaixo.
Pic:. Steve Rowe e amigos

THE VERY BEST OF WHITECROSS


Mais um the best of do WHITECROSS, a caminho. As músicas são dos álbuns lançados pela a gravadora Starsong, uma coletênia que reúne o melhor dos, self-titled , Hammer and Nail, Triumphant Return e In the Kingdom.
Tracks - debut - 1987) 1. Enough Is Enough2. Who Will You Follow? (Hammer and Nail - 1988) 3. When The Walls Tumble Down4. Take It To The Limit Down(Triumphant Return - 1989)5. Shakedown6. Attention Please(In the Kingdom - 1991) 7. Good Enough8. No Second Chances9. In The Kingdom (High Gear - 1992)10. We Know What's Right e Dancin' In Heaven. Material inédito??? os fãs devem aguarda
r

quarta-feira, novembro 01, 2006

Fábio Carvalho - Take your faith to the 'underground'

Se você ainda é daqueles, que associa a palavra Pastor, aquele homem de terno, que só sabe dá sermões chato, um verdadeiro, “bible bashing”? então eu poderia muito bem colocá-lo de castigo, ouvindo o Mortification, ou quem sabe, presentear com um cd do Antidemon. Brincadeira besta a parte, o cara, o pastor, Fábio Carvalho é bastante ‘conhecido’ na cena underground, e não se engane, pois se sua fé não é real, certamente ficará inibido com sua presença.
Tire um pouco do seu tempo pra conferir essa entrevista com esse great guy...


Norman

Norman: É verdade, que ao lado do Sandro Baggio, você é um dos que trouxe o metal cristão para o Brasil? Você poderia contar um pouco sobre como foi que tudo começou?

Fábio: Foi algo meio simultâneo, não houve nenhuma intenção nem a pretensão de sermos vistos como ‘PIONEIROS” do metal cristão. Na verdade, o Sandro me apresentou o som do Petra (início dos anos 80) logo depois, descobri “por acaso” o Stryper numa loja secular. Pirei!!!! Semanas depois conheci o Cláudio Tibérius, que já estava envolvido com a cultura da musica cristã “underground” e o Denilson de Porto Alegre. Pronto! Estava feito o “movimento” risos!!! Depois disso, vivíamos trocando informações, zines e “fitas”. Não tínhamos tanto acesso ao que acontecia “lá fora” e quando o Sandro, nosso “mantenedor mor” de material metálico, conseguia alguma coisa, era uma festa... Daí muitos outros brothers do país começaram a fortalecer o “movimento” com materiais de bandas, magazines e releases. Sempre que alguém conseguia o trabalho de alguma banda, logo estávamos todos ouvindo, comentando e divulgando. Principalmente no meio secular.

N: Você é um pastor, porém que também curte música pesada. [bagaçeira! desgraçeira! podreira! somada a uma temática visceral, verdadeira, inquietante, um verdadeiro antídoto á boçalidade cultural! uma bomba nuclear sonora] Isso facilita seu trabalho?

F:Creio que de certa forma, sim, mas não é, em hipótese alguma um requisito imprescindível, para o exercício ministerial.

N: Você morou um tempo fora do Brasil. Em relação ao ‘mundo underground’ como foi sua experiência por lá?


F:Muito interessante. A idéia de “underground” que se tem por aqui, não é necessariamente a mesma da galera de outros países. Principalmente porque, aqui a idéia está muito relacionada à estética, visual etc... Mas graças a DEUS, isso tem mudado e a galera que leva isso a sério mesmo, não está nem aí pra visual. E há também a noção de que um “verdadeiro” underground é aquele que TEM sempre que estar sem dinheiro, sujo, tosco e detonado e realiza eventos com poucos recursos e de baixa qualidade! ... Ao passo que em alguns paises, os caras são desprendidos do consumismo e do capitalismo, mas também da “miséria absoluta”. Ser pobre não é ser underground, necessariamente, e vice-versa. Pra muitos jovens, em outros paises, a contra-cultura é visto como um estilo de vida e não como um “movimento”.

N: Como você descrevia um cristão exemplar? Você se ofenderia com a pergunta, que tipo de cristão é você?

F:Um cristão é um ser humano vivendo um relacionamento com DEUS por pura GRAÇA, e que não tenta se livrar de sua humanidade numa tentativa de virar “anjo” ou super-homem! ... A GRAÇA DE CRISTO não faria sentido algum se existisse alguma capacidade própria de lidar com minhas mazelas, crises, limitações e pecados! Por definição, sou um cara, que se estou de pé, é somente por causa DELE.

N:Como não errar na hora em que vamos ‘falar de Deus’? Como saber diferenciar o nosso ‘papel’ do plano de Deus, e fazer apenas nossa parte?

F:Creio que antes de fazer, temos que ser. “falar de DEUS” pode ser massa, mas também pode ser uma agressão e uma falta de respeito para com o próximo. Se minha motivação for egoísta e desprovida de um amor genuíno, não passará de uma “verborréia”. Somos comunicadores da veracidade do perdão da inserção e da paternidade de DEUS EM CRISTO e se isso for somente retórica, continuaremos distantes da galera! Essas coisas se provam vivendo...


N:Fazer música com a intenção que muitas pessoas sejam salvas, é uma idéia interessante, mas como você vê os trabalhos que algumas bandas tem feito nesse sentido? Poderia citar algumas histórias de algumas delas?


F:Pois é... complicado! Cantar, berrar, urrar é “comunicar”... Existem muitos caras do bem, fazendo som com autenticidade e conseguem comunicar o “comunicável”! Por outro lado, tem uma galera apresentando um “cristianismo estranhíssimo” baseado numa “teologia/folclórica” “nórdicas e druidas” lutas infindáveis entre o bem e o mal. Jesus e o capeta no mesmo nível. Ou então algo centrado no próprio homem e em “sua capacidade” triunfante de vencer blá, blá blá... Talvez fosse até melhor tocar e não falar nada. O que particularmente NÃO acho errado!

N:Para nós, todas pessoas que Deus salvar, é motivo de festa. Mas será que você tem alguma história especial pra contar, um testemunho, que não choque apenas os que não são cristãos, mas sim, os próprios cristãos?

F:Existem várias. Não sei se o objetivo é chocar, são apenas fatos. Desde travestis que se converteram ao cristianismo, se encheram de alegria por terem provado (pela primeira vez na vida) o respeito à aceitação do verdadeiro amor. Mas também se deparam com o preconceito e o despreparo por parte dos crentes ao conviverem com esses. Muitos cristãos não se interessam e não se envolvem com essas pessoas, pelo fato da maioria deles serem diferentes e viverem na prostituição e marginalidade, por não terem qualificações profissionais ou nenhum atrativo social, ou não terem tido oportunidades. Em tese, eles esperam encontrar na igreja a oportunidade de serem acolhidos, curados, abraçados ... e nem sempre encontram. ... Há também algumas pessoas, radicais que são totalmente inversas a idéia de serem amadas por DEUS. São fechadas em si, sem referencial de futuro e sem intimidade com qualquer outro sentimento a não ser o ódio. Ver essas pessoas “sendo abraçadas” pela GRAÇA DO PAI e entendendo o significado de “paternidade”... é gratificante! Muitas acabam vendo que o "satanismo" não lhes toca e aquele papo de símbolo de rebeldia e "ódio" por DEUS, família e sociedade, não passam, muitas das vezes, de uma forma de gritar: "EI, ESTOU AQUI... EXISTO!!!!!" E o que dizer dos transexuais, hermafroditas, deficientes físicos, os doentes da AIDS, mães solteiras,tantos que foram abusados de todas as formas e nem sempre encontram em NÓS, igreja, a aceitação e o cuidado devido... vergonhoso não acha? Mudar não é tão difícil!


N:Quais seriam os grandes erros cometidos pela a igreja, na sua opinião?

F:Cara, falar da igreja é falar de mim, de você e de um período histórico conturbado! São muitos erros, um dos mais “perturbadores”, pra mim, é o fato de estarmos sempre olhando pra nós mesmos! Celebrando nossas conquistas, ministérios, templos, grandes feitos, influência política, enfim... Creio, que voltarmos para a simplicidade da vida cristã e valorizarmos o que DEUS valoriza, isto é, VIDAS, é o começo de uma restauração! Enquanto não olharmos pra nós mesmos,e o tempo todo, entendermos que fomos salvos PELA GRAÇA, não por méritos ou por alguma capacidade de “impressionar” a DEUS, ou por ser “bonzinho”,etc... dificilmente sairemos desse “feudo etnocêntrico”,covarde e excludente! Somos idênticos a todos os outros humanos, a ÚNICA diferença, FOMOS ALCANÇADOS POR ELE! E olha que éramos inimigos heinnn!!!

N:Hoje em dia, os estilos musicais se tornaram muito abrangente, assim como os rockers, estão bem mais tolerantes. Mas como você explicaria o fato de um cristão tocar numa banda satânica, se fosse o caso?

F: Antagônico. Não creio numa “guerrinha” entre o bem e o mal (o “BEM” JÁ VENCEU LÁ NA CRUZ, LEMBRA?) mas no meu entendimento, tocar numa banda “satanista” é o mesmo que dizer: "a paz se faz com guerras..." Sei lá, uma espécie de “niilismo gospel” risos!!!!!
--- Tenho o entendimento (ou falta dele eheheh!!! ) de que SE NÃO devo ouvir música secular também NÃO devo ver filmes não cristãos ou ler livros que NÃO sejam evangélicos etc... por que ouvir musica é errado mas ver um filme não é??? Será que não existe um ranço de capricho fundamentalista aí? Ter bom senso e discernimento é fundamental. E respeito a galera que NÃO ouve musica secular...

N:Eu lembro da sua coluna no fanzine Metal Mission (RIP). O que você anda fazendo hoje em dia pelo rock cristão? Ou melhor, pra que mais loucos sejam salvos?

F:Continuo envolvido no cenário. Tanto cristão como não cristão. Tento deixar claro meu respeito e admiração e apoio. ... salvação é uma DOCE conseqüência de se estar lá! Constantemente escrevo textos e pequenos artigos sobre o assunto e participo em congressos sobre missões urbanas também!

N:Você parece ter uma atenção especial com os ‘rockers’, o que normalmente a igreja se recusa a vê-los ou ajudá-los... Isso o torna muito importante no meio underground, e faz com a cena, de fato tenha seu lado sério, já que muitos estão entre nós por apenas interesse musical. Eu não sei se é exatamente assim como relatei em minha pergunta, então queria que comentasse e me corrija.

F:Pois é! Creio que foi respondido na questão anterior (??) Autenticidade é a palavra de ordem! Deixar claro suas convicções, crenças e posturas em face ao pecado e as injustiças e ao mesmo tempo respeito por “eles” é o que fará a grande diferença. E isso pode significar desprezo e hostilidades ás vezes, por parte de alguns. Mas certamente um reconhecimento por você ser quem é. Tipo, não ser um “camuflado”, sacou!? Sem duvidas existem vários que se envolvem em qualquer cenário, apenas com o intuito de se promoverem, tirarem alguma vantagem. Esses são os verdadeiros “posers”.

N:Na pergunta antes dessa, eu me referi apenas ao ‘rockers’, mas essa é sobre as pessoas, que lamentavelmente os cristãos não se importam... Que são aqueles abandonados, que vivem nas ruas, drogados, resumindo, pessoas sem condições de vida alguma. O que você tem a dizer sobre isso...

F:Deveríamos entender que viemos de “lá”. Do lado vazio da existência. Tendo segurança material ou não, éramos exatamente assim! O país e o mundo vivem uma crise muito grande. Exceções, falta de empregos, ameaças de cataclismos, violência e uma forte pressão sobre todos. Tem gerado cada vez mais pessoas inseguras e solitárias. A tal síndrome do pânico, entre outras, é um sintoma desses dias! E o melhor de tudo isso é que a igreja que foi “arquitetada” no coração de DEUS tinha esse povo como foco! Olha que oportunidade tremenda que estamos tendo em ser igreja!!! Nunca foi o padrão absoluto, ser cristão do tipo, “classe media”, pessoas normais, bonitinhas, sem problemas, papai, mamãe, filhinho e filhinha, um carro uma casa um emprego etc... O QUE NÃO ESTÁ ERRADO. CASAR E TER FAMILIA É MUITO BOM!!! Falo isso porque nem todos atingirão esse modelo de vida. ... Que nunca foi sinônimo de verdadeiro “salvo”. Qualquer um em qualquer realidade é bem vindo e se adequar no coração desse DEUS... Já sacaram a pressão que pessoas solteiras sofrem? ”-O que?...não se casou ainda?”
”-Coitadinho! Com essa cara...” ”-Vai virar titia heinnn!” ”-Você já tem tantos anos... e o casamento?” ”- hummm! Não se casou ainda... deve ser gay!” E por aí vai... como se a galera fosse obrigada a se casar pra provar algo!

N:E as tattoos, você realmente ama essa arte, não? Isso não o atrapalha em sua missão?

F:Houve um tempo em que tattoos eram um “escândalo”, não só para os crentes, mas também para os não crentes. Resquício de uma ditadura militar que infelizmente “doutrinou” boa parte da população evangélica. Amo essa arte, como você disse, e não me atrapalha em nada, porém não faço apologia de tattoos!

N:Algumas bandas cristãs chegam a travar uma ‘guerra’ contra o rótulo de white metal. E qual seria sua opinião a respeito desse conflito, que insiste em permanecer perseguindo os cristãos e não cristãos... risos...

F:O titulo “white metal” foi criado pela imprensa secular no início dos anos 80, para classificar o som de algumas bandas, principalmente o TROUBLE, em contra-partida às bandas de metal “satânico” ou black metal, usado pela banda VENON, a princípio. Sei que foi importante esse “rótulo”, mas na minha opinião, hoje se tornou obsoleto e sinônimo de “mais um movimento”, algo do tipo, bem x mal, sacou!? Existem várias formas de se enxergar um mesmo objeto, talvez outras pessoas pensem diferentes. Mas eu entendo que só faz sentido esse papo todo de bandas de metal, hardcore, black etc, se os “não crentes” forem os convidados de honra a participarem. Caso contrário o que me parece é a “cristianização” e a “sacralização” de uma (contra ) cultura. Isso é idolatria!

N:Você já ouviu falar de Larry Norman, conhecido como The Father Of Christian Rock?

F:Com certesa eheheh!!!

N:Algumas velhas bandas estão voltando ou relançando seus materiais. Quem você gostaria que voltasse? E o que você recomenda de ‘old’ e new?

F: Algumas bandas FANTASTICAS, deveriam ficar só na história. Fizeram um bom trabalho, mas se pudesse escolher, acho que diria o "THE LEAD" e "THE WARNING". Acho que o trampo deles seria atual e a postura Cristã radical (no bom sentido da palavra -risos!!!!) seria bastante impactante! Existem muitas bandas ótimas hoje em dia. Dos mais diversos estilos dentro do som pesado E uma moçada fazendo coisa nova também. Iguais ou melhores entre as melhores!!!

N:O Livro que o Gary Lenaire [primeiro guitarrista do Tourniquet] escreveu, An Infidel Manifesto - Why Sincere elievers Lose faith (Um manifesto infiel - porque crentes sinceros perdem a fé). Me parece desanimador, e me fez lembrar bastante daquele caso que aconteceu com o Roger Martinez.

[Roger era um cristão fervoroso, influenciou muito a cena cristã, chegou a ser pastor... E depois, de alguns conflitos, abandou o cristianismo...) No cemeço alguns dizia que ele tinha virado 'satanista'...

F: Não li o livro, mas vejo que compartilho do mesmo sentimento de Lenaire, quando olhamos para traz vemos alguns “náufragos da fé”. Com todas as dores, perdas e tentativas de se legitimar nossas razões, NADA justifica. Não está escrito em lugar algum que a caminhada cristã é “prazerosa” e fácil...


N:Você foi ao show do Stryper? Qual foi a banda mais legal que você já viu ao vivo e que te deu vontade de praticar uns mosh?

F: Fui sim ao Stryper em Belo Horizonte. Grande show! Muitas bandas brasileiras “mexem” comigo! Mas da galera de fora, quase morri no show do FIGURE FOUR... sem palavras!!!!

N:Você já se envolveu em algum trabalho de alguma banda, tocando, produzindo ou escrevendo?

F:Sim!!!!!

N:O que você já notou de estranho no meio cristão, e que teve que fechar os olhos?

F: Acho que o envolvimento de forma simplista às vezes interesseira e burra com a política! Também quando reproduzimos as mesmas pasmaceiras e modelos de nossa mídia populesca e seus programinhas cretinos, em nossas reuniões, cultos e atividades...

N: O que acha da igreja ‘underground’ Zadoque?

F: Amo o Batista e uma galera que conheço de lá. Creio que eles, assim como nós, estão tentando fazer a coisa certa!

N:Eu li algo sobre o Antidemon que me deixou um pouco preocupado. [O Batista, comentou, que apesar do Antidemon tocar death/grindcore, ele não é fã desse tipo de música. E faz isso apenas pra atender um chamado de Deus.] Não posso afirmar que é bem assim como escrevi, mas eu te pergunto. O que você tem a dizer sobre isso? Será que é possível funcionar, atitudes do tipo, se encher de tatuagem, tocar um estilo de música brutal, pra atrair gente pra igreja?

F: Acho que até o Batista concorda que qualquer atitude, principalmente aquelas em nome de DEUS, tem que estar encharcada de honestidade e seriedade para com o outro, nós mesmos e DEUS. De repente fazer algo que não se gosta em beneficio do outro pode ser chamado de SACRIFICIO.

N: O Cristianismo no Brasil é bem diferente do Europeu assim como dos Estados Unidos. Não seria nada agradável para os ‘crentes’ daqui conviver com outros cristãos que fumam e bebem. Como lidar com isso? Sobre aquele show que o Tourniquet fez no Brasil, rendeu alguns boatos.[Os boatos era sobre o fato deles fumarem... ) Mas falando um pouco sobre do assunto comentado anteriormente, eu fiquei mesmo ‘chocado e triste ’ foi quando vi no DVD do Saviour Machine, o guitarrista do Narnia (sim, o guitar hero, Carl Johan Grimmark) virando uma garrafa de Whisky. E você, já se surpreendeu com algo desse tipo ?

F: É verdade. Algumas divergências nos abalam mesmo! Estamos “seguros” dentro de nossos parâmetros e conceitos de certo e errado. Quando isso escapa ao nosso “controle”, somos desconstruidos! ... e muitos “caem” da fé por isso ...!!! ... mas isso deveria nos alicerçar mais e mais Rechaçando nossas convicções enquanto amadurecemos como pessoas. Passei por isso no Reino Unido. Tive os mesmos sentimentos de “indignação” e fui tomado por uma espécie de zelo-ultra-superior-espiritual–moralista-dono da verdade!!!!! Aprendi que temos os mesmos deslizes pois eles também vêem algumas atitudes inadmissíveis em nós. Ex. envolvimento com questões ambientais (ou melhor, a não participação de forma ativa, com as questões de preservação do meio ambiente. Pois nós temos ainda, pelo que lutar! ) ...NÃO ESTOU JUSTIFICANDO NADA, PELO AMOR DE DEUS!!!! Só estou tentando dizer que fazer o errado é muito mais fácil do que fazer o certo e reconhecer o errado no outro é mais fácil ainda... e o mais agravante, por mais cristãos que alguns sejam, fumar e beber não tem nenhuma implicação moral. Bem, não deixa de ser um ótimo assunto pra debatermos, certo!?

N: Não parece legal a maneira como os cristãos especulam suposta conversões de artitas seculares, Nicko McBrain (Iron Maiden), Dave Mustaine (Megadeth) e Alice Cooper. Será que não estamos equivocados, em relação a pensar, que pelo o fato de um famoso se tornar cristão, ser mais importante que qualquer outra pessoal. O que você pensa sobre esse tipo coisa?

F: Realmente nos falta capacidade de “conhecermos o coração do homem”. Podemos supor, especular, “bisbilhotar” etc... Mas deixem as árvores produzirem seu frutos. A natureza é a melhor professora [risos]!!! Sou grato a DEUS por essa galera se voltarem pro Cristianismo E ATÉ QUE SE PROVE O CONTRARIO, são meus irmãos em CRISTO e encontraram respostas ... é isso! Ser artista, musico é uma atividade profissional. O cara tem que sobreviver. É digno trabalhar honestamente. Sou contra e me incomoda profundamente, quando “divinizamos” essas profissões, transformando-as em “ministério” e fazemos dessas pessoas semi-deuses, grandes ministros. E aí nem é “culpa” deles!!!! Foram tratados assim a vida toda! A grande falácia é quando os cristãos perpetuam esse ciclo que em nada ajudam essa galera na caminhada Cristã! Bem, falei, mas espero que não seja essa a realidade de vida, desses caras que você citou, Vejo isso acontecer mais aqui no Brasil mesmo!

N:Agora, chega de perguntas. Nem o Larry King é assim [Risos] Deixe um recado...

F: O underground cristão já foi codificado. Absorvido pelo sistema de consumo igual a todos os movimentos seculares.
Na pós-modernidade o impossível acontece, a antítese se funde a tese! A contra-cultura se “alia” a cultura, não sei, parece que o mundo e seus sistemas agonizam. O que nos resta é preservarmos nossa identidade cristã ao ponto de ela ser relevante e objetiva, primeiro pra minha própria vida, e depois pra minha geração! JESUS CRISTO é esse fundamento. Sua morte e ressurreição traduziu o amor e o poder subjetivo de DEUS, em linguagem prática, de ação, de objetivo. Amor que cura, que perdoa, que dá sentido... Valeu a oportunidade. Espero ter somado!

Contato com Fábio Carvalho -
Cx. postal 1512 Belo Horizonte – MG 30123-970
Email - valho2005@gmail.com
Site/Blog - http://atitude-sria.blogspot.com/

Delohim sem baixista

O baixista Tybes Bertini não faz mais parte do Line Up do Delohim (Melodic Metal). A banda informou que ele saiu amigavelmente. Por enquanto ele continuará dando uma força, mas logo estará em sua nova banda de metal extremo. Outras informações, podem ser conferidas no site da banda - Delohim

News

Instagram

Postagens populares

Pesquisar este blog