[SIN] KILLER: Novembro 2011

quarta-feira, novembro 30, 2011

Survive : Entrevista com a banda na Roadie Crew Mag # 155 (dezembro 2011)



http://www.roadiecrew.com/

Guardian : Na estrada e novo ep para lançar na tour.



Guardian - Empolgados com recepção dos fãs e volta aos palcos.
Confiram o mais recente update a cerca do que eles estão aprontando pra apresentar ao vivo.

"Finalmente remontada a Casa do Guardian [o website da banda]  também chamado de Jamey Perrenot’s home studio) para definir as três novas faixas em preparação para a nossa turnê de 2011 pela América Latina.


Nós tínhamos bolando algumas ideias em torno das música umas com as outras ao longo do ano passado e sabíamos que era o horário nobre para gravar algumas delas. O processo foi rápido e furioso ... Mas divertido! Alojamos-nos novamente no home estúdio do Jamey e pegamos uma pilha de idéias para músicas e escolhemos das, três novas canções nos  finais  de semanas! 

Ficamos especialmente felizes pela a chance que tivemos de trabalhar novamente com os amigos de longa data do GUARDIAN: Alex e Susanna Allen - que trabalharam em todas as nossas gravações em espanhol.

Estamos realmente animado sobre a nossa próxima turnê latino-americana. Sempre tivemos um grande momento e nossos fãs latinos são surpreendentes!

Esperamos que vocês gostem das músicas novas! São poucas mais que esperamos gravarmos em breve ... É por isso que chamamos o nosso novo EP de Three To Get Ready. Fique de olho, breve em nosso site ,Tunes e também em uma versão especial para aqueles que vêm nos ver ao vivo nesta turnê. Fique ligado para mais detalhes!

Obrigado novamente por seu apoio ao Guardian. Somos gratos por todos os nossos amigos GUARDIAN todo o mundo!

Deus abençoe!

Jamie • • • David Tony Karl • Jamey

GUARDIAN oficial: http://houseofguardian.com"

terça-feira, novembro 29, 2011

Austrian Death Machine : Single natalino não recomendado para os fracotes.

Press Release : Metal Blade

O primeiro e único Austrian Death Machine passou algum tempo no estúdio recentemente, principalmente para levantar pesos, mas também para gravar algumas músicas novas. As músicas são baseadas num filme de férias mais moderno, Jingle All the Way, estrelado por Ahhnold, é claro! As músicas são um conto que proporciona a busca de um "Turbo Man" de brinquedo , cantada por Tim Lambesis e Ahhnold.



A versão digital do Jingle All the Way estará disponível onde quer que os downloads são vendidos a partir de 6 de dezembro de 2011 e o vinyl do singles, limitado ,7 estará disponível logo depois disso e pode ser pré-encomendado agora. Esta peça de vinil será o stuffer perfeito para o mais brutal dos amigos e familiares. Ahhnold só pede que o vinil não seja dado para nenhum "fracotinho" ou "maricas". 


Radio Add Date:
December 6th, 2011


Guitar solo on "I'm Not A Pervert" by Jason Suecof and Eyal Levi
Guitar solo on "It's Turbo Time" and "Who Told You You Could Eat My Cookies?" by Mark MacDonald
Rhythm guitars redone by James "JP" Gericke
Drums redone by Jerad Buckwalter
Vocals by Tim Lambesis
Ahhnold by Josh Robert Thompson (It's Turbo Time) and Chad Ackerman (I'm Not A Pervert)
Tracked and mixed at Lambesis Studios in San Diego, CA
Mastered by Alan Douches at West Westside Music

By Norman Lima 

segunda-feira, novembro 28, 2011

‘Pyramaze’ anuncia novo guitarrista



Os metaleiros dinamarqueses/americanos da Pyramaze recrutaram o “produtor de longa data e grande amigo” Jacob Hansen [Invocator, Annubis Gate, Beyond Twilight] como novo guitarrista.
O grupo comentou: “Pareceu tão natural trazer o Jacob à bordo, dado que ele sempre se sentiu como um membro extra da banda de qualquer maneira. Ele tem estado conosco desde o início, produção, mixagem e masterização do 'Melancholy Beast' e 'Legend Of The Bonecarver', e a mixagem e masterização do 'Immortal'.
Não é segredo que o Michael [Kammeyer] foi o compositor principal no Pyramaze, bem como a espinha dorsal da banda em todas as maneiras concebíveis. Contudo, com nossa nova lineup que também consiste de membros originais Morten Gade [Wuthering Heights] e Jonah Weingarten [Structure Of Inhumanity, Echoterra] o guitarrista de longa data Toke Skjønnemand e o novo vocalista Urban Breed [Tad Morose], tivemos que dividir os deveres do compositor, e nos empenhar em pôr nossos corações e almas neste novo álbum e no futuro da Pyramaze.
Os sapatos do Michael são grandes para serem preenchidos (literalmente), e fazendo isto sentimos que estamos honrando seu legado ao melhor das nossas habilidades.
Antes de Michael e Niels (baixo) anunciarem seus afastamentos da banda, nós já tínhamos nos organizado para termos Jacob mixando o álbum, então a transição aconteceu de forma suave, para dizer o mínimo.
Queremos agradecer aos nossos fãs por permanecerem conosco em todas as nossas dificuldades, e nós prometemos lhes dar o melhor álbum que pudermos! Amamos todos vocês!”
A Pyramaze separou seus caminhos do guitarrista Michael Kammeyer e do baixista Niels Kvist em fevereiro. Em uma declaração, Kammeyer culpou o seu afastamento em sua falta de habilidade de “encontrar o excedente mental tão bem quanto o tempo exato para aperfeiçoar a grande atividade no qual a Pyramaze se tornou”. Ele acrescentou: “Tem sido cada vez mais difícil para mim encontrar a energia que é necessária para fazer todas as coisas que tenho de fazer. De fato, tem se tornado difícil ao ponto onde isto não é mais justificável.
O vocalista Urban Breed juntou-se à Pyramaze em julho de 2008 logo após a saída do ex-vocalista do Iced Earth Matt Barlow.
Barlow sustentou os vocais no último álbum do Pyramaze, ‘Immortal’, que fora lançado nos EUA em 24 de junho de 2008 via Locomotive Records.
As sessões de vocais do álbum ‘Immortal’ foram dirigidas pelo produtor Jim Morris, que trabalhou com o Iced Earth, nos últimos lançamentos do grupo. O cd foi mixado pelo Jacob Hansen [Raunchy, Invocator, Mercenary].
Barlow originalmente juntou-se à Pyramaze como substituto para o Lance King [Nightmare Records], que saiu da banda em novembro de 2006.

domingo, novembro 27, 2011

Nordic Mission : Distribuindo material novo do Lengsel.

LENGSEL: Lengsel
O unblack norueguês LENGSEL atualmente sem selo, fez sua primeira e exclusiva apresentação no NordicFest, o último em Oslo, Noruega, Outubro de 2011 e auto-lançando esse cd por lá. Ele contém demos e mistura de canções nunca antes lançadas para o público! Edição limitada de 200 cópias!

Mais detalhe no link http://www.nordicmission.net/



Miseration: novo álbum a caminho


A banda escandinava de death metal Miseration lançou dois álbuns, “Your Demons – Their Angels” [2007] e “The Mirroring Shadow” [2009]. Atualmente eles estão trabalhando no seu terceiro álbum, provavelmente para um lançamento em algum lugar em 2012.

“Estamos muito felizes em contar que o material para o novo álbum está ganhando forma muito bem. Nós atualmente temos cerca de 6 músicas de vários tipos, em sua preparação, e almejamos incluir 8 músicas no total.

Este álbum será o primeiro nosso com o Oscar na bateria, e cara, julgando pelos esforços dele na pré-preparação da coisa, você pode estar seguro de que este álbum terá uns arranjos de bateria insanamente maneiros (você é fera na técnica, mano! ;) ) Mais notícias virão por aí. /Miseration”
Miseration consiste de: Christian Älvestam – vocals, Marcus “Skägget” Bertilsson – guitar, Jani Stefanovic – guitar, Oscar Nilsson – drums. A banda publicou a seguinte atualização.

W.A.S.P.: muito grande para as maiores gravadoras ignorarem.

Traduzido por Willba Dissidente | Em 25/11/11 | Fonte: Site oficial da banda


W.A.S.P. "30 Anos de trovão" é o nome da série de quinze textos que Blackie Lawless está publicando no "Official W.A.S.P. Nation Website" para comemorar o vindouro trigésimo aniversário de seu grupo, a se realizar em setembro de 2012. Todo mês o guitarrista, vocalista, produtor e lider do W.A.S.P. escreve um episódio contando o caminho que sua banda fez até se tornar umas das mais importantes do mundo do Heavy Metal. No Brasil W.A.S.P. "30 Years of Thunder" é traduzida por Willba Dissidente e publicada primeiramente no Whiplash.net



W.A.S.P. "30 Anos de trovão" - Parte três

"Outono de 1982...... nossa primavera(*)"

Aquele último show foi muito bom e nós estávamos desfrutando de seu pôr-do-sol, com um sentimento de que começavamos a encontrar nossa verdadeira direção. Ainda que houvesse menos de 100 pessoas naquele show, as coisas mudariam rapidamente com a platéia dobrando a cada novo espetáculo. Entretanto, era claro que nos éramos orfãos musicais em relação às grandes gravadoras, ao menos até nos conseguirmos fazer barulho o sufiente para forçá-los a prestar atenção em nós (eu quero dizer PAGAR $$)(**). Então, se um selo de gravação não nos adotasse de imediato, teriam de ser as pessoas. Isso que aconteceu. Fizemos isso do modo anitgo. Nós levamos (nossa música) para a garotada e os deixamos decidir se valia a pena. Um dos caras da nossa equipe tinha uma oficina que seu pai tomava conta e era um ateliê completo em carpintaria e serviços de metal. Ficamos meses lá, dia após dia, noite após noite, trabalhando em qualquer idéia que pudessemos sonhar. A primeira coisa que construimos foi o "rack da tortura" que nós usávamos com a garota semi nua, que seria chamada mais tarde de "a garota do rack" (***).
Ao longo dos anos, 5 garotas diferentes encenaram esse número. O som "Tormentor", no nosso primeiro disco, foi escrito especificamente para essa parte do show. No show business esse tipo de coisa é chamada de "gags" (mordaça). Era isso que fazíamos na oficina; aparecíamos com tantas "gags" quanto conseguissemos para criar um bombardeio visual na platéia. A maioria dos shows de rock quando terminam, as pessoas saem do local todas empolgadas e falando alto; como nos começamos a gostar da direção que íamos, eu queria fazer outra coisa. Eu queria galera saindo do nosso show capaz de ouvir um alfinete cair. Eu queria o público rodando o video tape na cabeça de trás para frente e perguntando a sí mesmos: "o que no mundo eu acabei de assistir"? 


Agora que tudo isso foi dito, eu sabia que seríamos tidos como uma "Shock Band", mas eu queria mais. Eu queria fazer uma afirmação social. Eu queria fazer as pessoas pensarem. Pensar a respeito, não do que elas acabaram de ver, mas como isso era aplicado a vida delas. Se (o que fazíamos) fosse somente "choque por interesse em chocar" então isso, como eu disse antes, seria incrivelmente entediante com absolutamente sentido nenhum. Então, o resultado da observação social era meu modo de dizer ao mundo, "Hey, se você não gosta do que vê nessa banda, não nos culpe, nós somos tão somente uma reflexão, um espelho, se quiser, do que esta acontecendo no mundo real". Vendo em retrocesso agora, NINGUÉM entendeu!! Ninguém pegou a mensagem e tenho certeza que mesmo que (eles) entendessem, me veriam como tentando ser "convencido, bem-pensante e hipócrita". Nada disso ficou claro para mim até uns dois anos depois.


De volta à oficina. Depois do "rack" estar pronto, a próxima coisa que começamos foi a "placa em chamas" do W.A.S.P. Essa coisa era uma monstruosidade própria. Não apenas tinha essa aparência quando pronta, como igualmente foi mostruosa de se fazer. Nenhum de nós, e digo NENHUM, tinha a menor idéia de como montá-la ou fazer funcionar. Por falar em tentativa e erro... Primeiro, nós fizemos as letras W.A.S.P. de compensado de madeira e depois colocamos as cabeças de parafuso para fazê-las parecer como o logo dos primeiros flyers de divulgação. Então veio a moldura para o propano (combustivél) que ficava em volta das letras. O problema era que o tubo de metal que emoldurava as letras tinha buracos perfurados a uma polegada de distancia, em toda extensão de dentro da moldura para o propano sair. Não sabíamos que precisávamos pressão IGUAL por toda moldura. A pressão é o que faz todas chamas iguais em tamanho. Todos tanques de propano tem uma valvula de desligar e o que chamamos de ladrão de faísca. Tanques de propano são seguros com essas duas coisas, mas se retirados, você tem potencialmente uma bomba em mãos, por que as chamas podem às vezes voltar para dentro do tanque. Se isso acontecer... BANG!!! Eu não estaria escrevendo agora!!! Faria todo o prédio cair, mas era o ÚNICO meio de fazer a coisa funcionar, então adivinhe... Algumas noites quando tocávamos no Troubadour, as chamas iam tão alto que queimavam as vigas de madeira acima do palco. Só pela Graça de Deus que não tivemos um problemão!!! Até hoje você consegue ver as marcas de queimado no caibro das vigas de madeira. 

Depois nós ainda descobrimos que a placa ficava tão quente que fazia as pessoas beberem mais...muito mais!!! O (pessoal do) Troubadour sabia disso também e era só ameaçarmos não usar a "placa em chamas" que eles nos pagavam mais dinheiro! Nós estabelecemos recordes para vendas de álcool que nunca foram quebrados.



Foi numa tarde enquanto estávamos na oficina, apoiado contra uma janela, que vi uma lâmina de serra redonda de 12 polegadas. Eu olhei aquilo e comecei a rir. Os outros olharam pra mim e indagaram o que era tão engraçado e eu disse, "imagina como aquilo ficaria no meio de minhas pernas"? Um meio sorriso louco brotou no rosto deles. Isso era para ser a coisa mais legal do mundo ou a mais idiota de todas. Você precisa lembrar, nada assim havia sido feito antes. Então, isso é legal ou isso é IDIOTA? Só um meio de descobrir! Nós fizemos um molde de papelão como um modelo e cortamos a lâmina de metal no maçarico para servir em mim. Eu entrei usando isso no próximo show e o lugar enlouqueceu!! Em retrocesso agora, você pode perguntar porque eu estava preocupado. Eu me senti realmente pegando uma grande chance. Pouco sabia que nossa marca registrada estava nascendo. As lâminas nos braços foram adicionadas depois meio que para completar o conjunto!! O jogo inicial em soma à lâmina também tinha grandes parafusos saindo e eu também tinha uma luva de braço combinando com o mesmo tipo de parafusos. A idéia de não saber se isso era, ou não era, uma boa idéia parece engraçada agora, já que existem todo tipo de banda que tem pregos e parafusos saindo dos seus trajes de palco, mas quando ninguém havia feito isso ainda, você sempre indaga se vão tirar sarro de você no palco. 

Enquanto TUDO isso acontecia, a banda ensaiava. Eu contava a estória antes, mas até agora ela parece inacreditavél. No comecinho, nos ensaiávamos numa garagem de dois carros, mas isso só durou um mês. Então nós mudamos para uma esteira abandonada de lavanderia por um mês. Para todo mundo fora dos EUA, esse é um lugar que você leva suas roupas para serem lavadas. Uma pena que as máquinas não funcionavam porque naqueles dias roupas limpas eram díficeis de aparecer. Imagine parar no meio do show para jogar outra carga!, mas não tivemos tal sorte. Como nota de rodapé, a esteira de lavandeira era localizada na esquina da Santa Monica Boulevard com a Rua Vine em Hollywood. A razão pela qual menciono isso é que do outro lado da rua era o prédio que eventualmente contruiríamos o "Fort Apache" estúdio, onde o primeiro álbum gravado foi o "The Crimson Idol". Honestamente, indo de um lado para outro dessa rua era uma das maiores caminhadas que eu fazia.

O próximo lugar que ensaimos ninguém acredita, até hoje, quando eu conto. Nós achamos um lugar que vendia produtos de fazenda e tinha grandes unidades de refrigeração onde eles estocavam leite, queijo e carne. Sim, nos estavamos ensaiando num frigorífico!! Ele ainda tinha os ganchos na parede pendurado carne. Era um espaço bem pequeno, por volta de 2X6 metros e a temperatura era mantida em por volta de 03 graus Célsius (38 graus Farenheit) e você podia ver sua respiração. Quando davamos pausas estavámos suadsos e você podia ver as gotas caindo de nossos ombros e cabeças. Custava somente $25 por semana e estivemos lá por volta de dois meses. Quando contávamos que a banda atacava carne crua na platéia ensaiava num frigorífico ninguém acreditava. Essa é uma estória verdadeira!!

Tocavámos no Troubadour batalhando nosso caminho das noites de terçaa para as de quarta, para as de quinta até as de sexta-feira, para então chegar a tocar nas noitadas de sexta e sábado. Tudo num período de quatro meses. A cada show a platéia aumentava. Muitas noites vendiam mais ingressos que o lugar comportava. Haviam um set de duas grandes portas na entrada. Algumas noites as portas ficavam abertas para lidar o tosquiado volume de pessoas e do palco eu conseguia ver gente de pé no meio da Santa Monica Boulevard (é uma pista dividida de 04 vias) e haviam 100 ou mais pessoas de pé que não conseguiram ingressos. Eu virava e cantava para eles na rua e eles enlouqueciam!! Tenta imaginar isso. Eu nunca havia visto algo assim. Era muito incomum, mas outra vez, incomum era a banda.


A revista local de música era Music Connection, que semanalmente publicava a lista dos grupos que mais vendiam ingressos em Los Angeles. Eventualmente, nós nos tornamos a banda número um. NÃO tinhamos dinheiro, mas parecíamos ter MILHÕES!!!! Tudo das coisas que nasciam na oficina... Obrigado, Kirk!

De lá nós mudamos para lugares maiores e então teatros e menos de onze meses depois de nosso primeiro show nós tocávamos no Santa Monica Civic Arena (3.000 lugares). Nós estávamos conectados com a audiência e cresciamos rapidamente. Era demais para a banda que nunca teve a intenção de tocar ao vivo (antes de conseguir um contrato de gravação)!

Tudo isso sem um empresário e SEM COMPANHIA DE GRAVAÇÃO!!!! Agora nós éramos grandes demais para eles recusarem prestar atenção na gente por muito tempo. Em pouco tempo, a EMI / Capitol Records viria nos chamar!!!!

Mais mês que vêm!!!

B.L. 

Notas do tradutor:

(*): A exemplo da edição anterior, Lawless usou como título uma expressão de diversos significados. A tradução literal, e uma das muitas possíveis, seria "Cai 1982...... e a ascensão", porém quis manter o viés poético que o lider do W.A.S.P. empregou na frase.


(**): Prestar atenção em inglês é dito "Pay Attention". "To pay" também é o verbo pagar. Lawless usou um trocadilho impossivél de traduzir em seu sentido completo : "...they would be forced to pay (and I mean PAY $$) attention to us".


(***): Além da palavra rack significar cabide, móvel, o verbo "to rack" tem a tradução de torturar. Por isso na edição do mês passado traduzi como "cabide de tortura", porém com o advento da "rack girl", resolvi mudar a expressão para "rack de tortura" e acrescentar "garota do rack", por acreditar que assim o sentido das palavras é mais coerente.


Fonte desta matéria (em inglês): Site oficial da banda

Wonrowe Vision : Ao vivo, tocando músicas do Lightforce.

"Esta noite tivemos uma Gig killer no Ten x 10 Fest com o Wonrowe Vision. Tocamos durante 45 minutos. Executamos uma nova música chamada That's Total Evile 2 músicas do Lightforce, da Blue demo de 1986 da qual apenas 30 favia sido prensada! As primeiras duas músicas que eu gravei , Your'e So Kind Yours & Mine & Pictures. Começamos o show com Spirit Of The Rock & Mission Invincible e terminamos com Vaporiser & Resident Spider. Agora estou cantando!! Procurem pelos os clipes no You Tube nas próximas 2 Semanas! Grande show montado por Chrissy Laversha & Vic Campbell. Rosanna’s Raiders foram incríveis OLD SKOOL JESUS ROCK!!"
Steve Rowe / Infiltration Squad

Parte inferior do formulário
 



sábado, novembro 26, 2011

Stronghold : Assina com a Retroactive Records:


O debut de 1982 Fortress Rock será reeditado.


Do baterista Jay Molina (The Christian Metal Realm): "Só um pouco depois de LARRY NORMAN e RANDY STONEHILL, o rock cristão começou a emergir para uma grande controvérsia. 

Que estava calado, visto como música do diabo pela maioria das igrejas e as estações de rádio cristã (que) as que tocavam isso eram poucas e distantes entre si. Foi um milagre de ouvir DeGarmo & Key ou Phil Keaggy. PETRA foi o porta-estandarte para a marca de mais pesado do rock.



Neste cenário veio um rótulo pouco conhecido canadense chamado tunesmith que, ao contrário dos selos mainstreamse dispuseram a arriscar em bandas emergentes, com um peso de ponta. Sua primeira incursão neste mercado foi a banda SERVANT. Como eles pareciam tentar uma sensação um pouco mais pesada, eles assinaram com o STRONGHOLD, uma nova banda de Rochester, NY. Esta foi essencialmente uma banda de 3 pedaços com um vocalista que desejava alcançar jovens para o Senhor com o tipo de música que estavam ouvindo nua rádio de AOR no final dos anos 70. Fortress Rock foi sua primeira e única tentativa qual teria sido seguida por um segundo álbum com uma tendência mais progressista a ele. Infelizmente, isso nunca se materializou. Tanto que os rigores de turnês e gravações cobraram seu preço sobre a banda e os membros escolheram por ministrar de forma que não iria levá-los longe de suas famílias demais. 


Sei de tudo isso porque eu era o baterista da banda. Acabei de assinar um contrato com a gravadora Retroactive Records para re-release Fortress Rock em CD e vou postar o link assim que estiver disponível. "

Detalhes adicionais ( tirado do encarte do álbum original): Desde o início STRONGHOLD foi formada com a finalidade de criar música de qualidade cristã. Não demorou muito, no entanto, para o Senhor expandir nossa direção para o plano que Ele tinha em mente. O que antes era desejos carnais de fama, reconhecimento e glória foram transformados em um sacrifício de tempo, talento e amor. Não só para o Senhor, não só para si, mas para o povo a quem fomos chamados para ministrar. Deus Pai nos deu o chamado. Deus Filho nos deu a inspiração e exemplo. Deus Espírito Santo deu poder e encheu nossas vidas. STRONGHOLD é mais do que apenas o nosso nome pois Ele é a nossa fortaleza. (STRONGHOLD).


Fortress Rock track-listing:
1. “Stronghold”
2. “Barabbas”
3. “Dreams & Pretty Pictures”
4. “No Superstars For Jesus”
5. “Daybreak’s Coming”
6. “Desert Walker
7. “The Called”
8. “Nobody Owes You Nothin’”

STRONGHOLD line-up:
Gary Smith - Lead Vocals & Keyboards
Pete Moore - Guitars
C.C. Cupp - Bass
Jay Molina - Drums & Percussion

"O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele." (Naum 1:7).

fonte : http://www.angelicwarlord.com/

quinta-feira, novembro 24, 2011

Megadeth: Señor Dave Mustaine fala aos fãs latinos

Postado por João Renato Alves

Em 23/11/11 | Fonte: Blog Van do Halen
No Facebook, Dave Mustaine deixou o seguinte recado aos fãs latinos.

Para todos os mexicanos, brasileiros, chilenos e argentinos


Essa foi a melhor turnê pela América do Sul e Central que eu já fiz. Suas vozes quando cantam alto e claramente, fizeram com que me sentisse incrível. Estava preocupado se seríamos bem recebidos, devido à minha cirurgia. Os médicos disseram para não fazer NADA, exceto tocar e voltar para o meu quarto. Então, não pude falar com vocês. Apenas saibam que vocês foram gentis e extremamente Metal! Recebi muita esperança e força de vocês! Mal posso esperar para voltar, sendo que sequer saímos daqui! Não é “loco”?


De qualquer modo, amo todos e quero que saibam que há algo muito, muito diferente vindo de vocês. O mundo todo aprendeu a cantar “Aguante, Megadeth”, mas vocês cantam mais alto! Talvez essa tour tentem cantar mais alto em outros lugares. Mas tenho certeza que não conseguirão. Acho que logo chegará a hora de outro lançamento ao vivo na América Latina, o que acham?

É isso de minha parte, por hora. Tenho que subir no avião e voltar para Columbia, então “adios” e os amo muito!

Señor Dave Mustaine


Matéria original: Blog Van do Halen via Whiplash.

To Leave A Trace - 'Boatman Is The Hero' EP: Pague o quanto quiser


A banda de hardcore/screamo com vocal feminino To Leave A Trace é uma das primeiras bandas ucranianas que começou a cantar abertamente sobre sua vida com Deus, firmando suas músicas no que eles acreditam. Eles tocam há cerca de 5 anos na sua cena hard nativa, e estão avançando ainda mais no exterior.

Seu último lançamento foi o Boatman Is The Hero, que foi lançado em 20 de março deste ano. Este EP está agora disponível para pagar o quanto você quiser. Apóie a banda e faça uma doação a eles. Eles apreciarão isso, e você receberá 6 músicas da banda ucraniana de female screamo/hardcore.

Track list:
Luminance: Unseen
Boatman Is The Hero
Enormous Devastation
Reverse Invisible
Shouts From Netherworld
Endless Song Of One Day


Assista abaixo o vídeo da música The Endless Song Of One Day da banda To Leave A Trace, e este vídeo é dedicado às vítimas do desastre que aconteceu em março deste ano no Japão.



quarta-feira, novembro 23, 2011

Mortification - Selo alemão pode lançar "Scribe Of... e o 2nd do Wonrowe Vision"

A Mighty Monster Records, selo independente alemão, dirigido por um cristão, tem interesse em lançar o novo álbum do Mort, Scribe e o segundo do Wonrowe.
Steve Rowe fez um post no facebook do Infiltration Squad uma nota, falando disso.
"

Great News! A Monster Records na Alemanha, que é um pequeno indie selo secular tradicional de propriedade e dirigido por um cristão estão oferecendo tanto para o Mort & Wonrowe Vision um contrato para "Scribe Of The Pentateuch" & o 2nd do Wonrowe Vision.


Tudo que eu preciso fazer é pagar para os 2 proprietários vir aqui com seus equipamentos para gravar o Wonrowe 2 & o Scribe Mix! É um grande negócio para ambos, Rowe Productions & Mighty Monster Records! As tarifas aéreas seria de $6000 e outros custos em torno de $1000. Eles iriam ficar aqui na minha casa e iriamos montar um estúdio temporariamente no local com o equipamento da Mighty Monster . Tudo que preciso é que as pessoas a doem AO THE LIFE ACHIEVEMENT PROGRAM & orem! É isso $ 7000 direito no dinheiro! A Mighty Monster também estar trabalhando para reservar euro Tours para nós, incluindo festivais de Metal Secular!


Biogenesis : Track list do traumático segundo álbum revelado.



Chaz Bond, frontman do Biogenesis revela que o segundo álbum do Bio, agora está pronto. Confira suas palavras a respeito.

"No momento em que tanto você quanto a banda esperaram toda uma década para ter finalmente chegado. Talvez você queira ler a próxima frase duas vezes. lol O tão esperado segundo álbum do Bio; "The Rise, The Fall The Rebirth" agora está completo ....... Eu vou deixar que fiquem por dentro .. lol Yep, é verdade. Tivemos que saltar muitos obstáculos e correr através do fogo, mas acontece que Deus queria depois de tudo. Como o fundador do BIO estou muito feliz e orgulhoso por fazer este anúncio do qual às vezes parecia que nunca iria acontecer.

Quando nós aparecemos pela primeira vez em cena através da "Rowe Productions" Eu realmente imaginei a banda tendo uma vida longa e, eventualmente, assinando com um selo maior, etc Se tivesse ido da minha maneira este poderia ser o o nosso 6 ou 7 release. 

No entanto o destino tinha outros planos e depois de uma tour divertida com o Mortification parecia que as coisas estavam indo do meu jeito, quando nos unimos com Jimmy Brown do Deliverance como nosso produtor para o próximo álbum e mais além. No entanto tudo o que saiu disso foi o single "Fallback" lançado em 2002 ou 2003. 

Jimmy se mudou para Las Vegas e as coisas só começaram a cair . Não tínhamos dinheiro para gravar e sem gravadora para trabalhar. Apesar disso continuamos a escrever e algumas das canções que estão neste novo álbum foram escritas nesse período. Pouco tempo depois houve uma grande briga entre mim e minha mão direita principal da banda e que me levou ao final imediatamente do Biogenesis em 2005 sem nunca ter lançado um segundo CD.

História triste para mim porque realmente o Bio foi uma banda única e poderosa com cargas de potencial para ser muito maior do que fomos e somos. 

Como muitos de vocês sabem James e eu, eventualmente, apertávamos as mãos e uma cura ocorreu. Nos foi inicialmente oferecido um contrato da Retroactive Records para um álbum de reencontro, mas o negocio acabou não dando certo e a Soundmass veio para o resgate. Dito isto, queremos agradecer a Adam da Soundmass por, além de ser tão paciente conosco através de uma experiência de gravação muito difícil. Tudo o que está sendo dito,todos vocês merecem este registro e eu espero que todos gostem muito! Sangue, suor e lágrimas ", literalmente" foram derramadas para este álbum. Eu não posso prometer que não vai ou não vai sair mais um disco do Bio neste momento. Que na maior parte depende da resposta que está nos ganhos do álbum. De qualquer maneira agradeço a todos vocês e nós amamos todos vocês! Deus abençoe os Bio freaks "

Chaz Bond.

Track List
Paradox
Hatred Seed
Never
Point Of Origin
Bleed Me
Angel
The Darkness Fades
Biogenesis
The Mark 12
Bonus Tracks.....
Fallback (2002)
Catalyst For Malice (2004)




http://www.facebook.com/pages/biogenesis/119050771454566
http://www.reverbnation.com/biogenesisofficial
http://www.myspace.com/biogenesis

As I Lay Dying - 'Electric Eye'

AILD gravou um clip para a música  'Electric Eye' cover do Judas via Ultimate-Guitar.com, um dos tracks  de seu mais recente material 'Decas'.

"Após um longo dia de queimaduras solares e fora a seca no deserto eu estou contente por lutar com os escorpiões para as filmagens de Eye Electric. Saímos vitoriosos, mas que provavelmente não poderia ter feito isso sem a inspiração do metal clássico de Halford e as lendárias melodias de guitarra do Priest ", explica o vocalista Tim Lambesis.


www.facebook.com/asilaydying
www.twitter.com/ASILAYDYINGBAND
www.decasalbum.com
www.asilaydying.com
www.metalblade.com

terça-feira, novembro 22, 2011

" o 'amor livre' não é nem amor nem livre.”


“Free love is neither” - 
Sandro Baggio

Encontrei a frase acima meses atrás quando estava lendo U2′s Achtung Baby: Meditations on Love in the Shadow of the Fall de Stephen Catanzarite. O livro é uma análise das letras e música desse álbum fantástico lançado em novembro de 1991 (Achtung Baby é meu CD favorito do U2).

A geração hippie das décadas de 1960 e início de 1970 sonhou com o amor livre (revolução sexual). A expressão desse sonho estava nos relacionamentos casuais, desinteressados, sem compromisso ou apego que prometiam uma sociedade mais feliz e saudável, libertando as pessoas do peso da culpa, dando-lhes a liberdade para experimentar antes de se comprometer. Os resultados décadas depois parecem ter tornado o sonho em pesadelo. O mundo pós-revolução pelo amor livre não é mais feliz nem mais saudável. Pelo contrário, o que presenciamos são índices cada vez maiores de DSTs, depressão, ansiedade, filhos ilegítimos e divórcios (mesmo depois de tanta tentativa antes de se casar, parece que os casais de hoje estão acertando muito menos do que aqueles que não fizeram tentativa alguma). Como disse Catanzarite,“o amor livre não é nem amor nem livre.”

Enquanto refletia sobre isso, imaginei se os seguidores de Cristo hoje não estão sonhando com uma vida cristã que é semelhante ao sonhohippie do amor livre. Ou seja, uma vida cristã sem compromisso algum. Do mesmo modo que a geração do amor livre deseja sexo sem casamento, muitos seguidores de Cristo hoje em dia aparentam estar desejando as bênçãos de Deus sem compromisso de uma vida com Deus, sem o compromisso de submissão e obediência, sem o compromisso de mutualidade e prestação de contas. Fico pensando se tantos textos e comentários que colocam a graça de Deus quase como uma desculpa para se viver de maneira descompromissada não levarão muitos a uma verdadeira des-graça espiritual. O chamado ao discipulado feito por Jesus requer compromisso radical (negar a si mesmo… tomar a cruz… não voltar atrás). Jesus disse: “Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama.”

Amor não tem nada a ver com mandamentos e obediência… ou será que tem? Amar a Jesus de verdade envolve um compromisso com Ele e com o que Ele disse (Sua Palavra). E para que não haja dúvidas, isso envolve obediência (algo que os discípulos pós-modernos parecem não gostar muito – é só citar o termo obediência que já surgem objeções e acusações de legalismo, institucionalismo, autoritarismo, manipulação, hipocrisia… parece até papo dos hippies justificando suas atitudes “contra o sistema” na década de 1960). Como disse Bonhoeffer: “A resposta ao discipulado não é uma confissão oral da fé em Jesus, mas sim um ato de obediência.” O fato é que assim como amor livre não é amor nem livre, discípulo cristão sem compromisso não é nem discípulo nem cristão.

Creio que os hippies estavam procurando boas coisas, mas buscaram de maneira errada. Do mesmo modo, creio que essa geração de pessoas que está buscando mais de Jesus e menos de religião, está procurando uma boa coisa. Minha esperança é que ela não cometa o erro da geração free love.
Fonte : Sandro Baggio

segunda-feira, novembro 21, 2011

The Sacrificed : Sampler do novo álbum. III

The Sacrificed

Quem não sabe esperar, pode conferir agora os samplers do novo álbum do The Sacrificed no link abaixo ou direto no youtube. Isso você escolhe.
Programado para entrar nesse mundo, em janeiro de 2012. Assim mostra os 'sinais'...


http://www.facebook.com/thesacrificed?sk=app_178091127385

sábado, novembro 19, 2011

Bride : Dale Thompson fala da morte do ex guitarrista da banda.


"Até agora muitos de vocês já ouviram sobre a morte do guitarrista do Bride, fora da banda há muito tempo, o amigo Steve Osborne. A morte de Steve foi um suicídio. Antes que alguém começe a julgar o meu amigo eu quero dizer que com certeza Steve está com o Senhor e sua dor neste mundo ficou para trás. Steve foi uma das poucas pessoas que eu considerava "querido verdadeiros cristãos." Ninguém nunca vai saber por que Steve deixou este mundo desta forma horrível, mas a depressão e a dor mental é real. Tenho certeza que ele diria a qualquer pessoa com esse tipo de doença a confiar em Deus, procure ajuda profissional e tenha fé. 1Co 3:15 - 
Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo.

(Jimi Hendrix, Stevie Ray Vaughan e Randy Rhoads terá de afastar enquanto o guitarrista de Deus entra para o próximo plano de vida" DT


Steve Osborne fez parte da fase heavy metal clássico do Bride e participou em outros álbuns.

Rest in Peace.


quinta-feira, novembro 17, 2011

Slechtvalk : Apresentando novo baixista no Blast of Eternity 2011



De acordo com o facebook oficial do Slechtvalk [war metal] se apresentou no festival alemão Blast of Eternity (11/12 -2011) com seu novo baixista Dagor, que faz seu primeiro show com o grupo. Enquanto Ohtar fez sua última apresentação, antes de se mudar para a Espanha. Ele permanecerá como membro da banda e participará das composições do próximo álbum.
O tecladista Premnath está lançando seu primeiro álbum solo instrumental que leva o longo nome A Journey Through The Depths Of The Soul.

http://www.facebook.com/pages/Slechtvalk-Official/125368040893575

quarta-feira, novembro 16, 2011

Living Sacrifice : Lança In Finite Live DVD.



Informações sobre o In Finite Live - Gravado com 4 cameras profissionais, filmado de um show em Pomona CA, 2009. Profissionalmente mixado. Bonus inclusos; cenas por trás do making of dos videos Rules Of Engagement e Overkill Exposure e mais 6 músicas ao vivo filmadas no show em Little Rock AR, 2010.

Você pode pedir e agora ele será enviado na semana do lançamento 09/12/2011.
Para compras, entra aqui.

Impellitteri : Chris Impellitteri em projeto anime metal





Em comunicado oficial, o guitarrista Chris Impellitteri falou sobre o projeto Animetal USA, que realize com Mike Vescera, Rudy Sarzo e Scott Travis.

Muitos ficaram confusos com a proposta da banda. O Animetal USA está levando a música muito a sério, misturando uma temática dark com clássicas anime songs. Em algumas faixas, usamos riffs clássicos, escritos por nossas lendas favoritas do Heavy Metal. É interessante trazer essa fórmula para o mundo das animações, que já é uma cultura incrível e intensa por si só.

Não somos uma banda cômica, como o Steel Panther. Estamos fazendo isso com seriedade, depositando esforço e tempo com a Sony para criar um mix de Metal, anime e teatralidade. Também queremos construir uma sólida base de fãs em todo o mundo.

Atualmente, estamos alcançando uma grande audiência, expondo nosso som a uma nova geração que não seria possível alcançar do modo tradicional. Contando os shows e participações em programas de TV durante o mês de outubro, calculamos que em torno de 25 milhões de pessoas tenham nos assistido.

Por último, estamos pensando em lançar uma extensão da banda, chamada Death Star, onde tocaremos material 100% original. Teríamos, então, duas formas de música feita pelos mesmos quatro integrantes.


Matéria original: Blog Van do Halen via Whiplash

Mutemath : Batera na DRUM! Magazine de Novembro 2011.


O baterista Darren King --- Mutemath  (
New Orleans, LA) passa pelas as páginas da internacional DRUM! Magazine, na seção Vibe - Como o Mutemath bate forte e encontra a calma interior.


http://www.drummagazine.com/issues

domingo, novembro 13, 2011

Nine Lashes: Debut "World We View" sai pela Tooth & Nail Records.


Nine Lashes - World We View - CD

O lançamento de "World We View" primeiro material full do Nine Lashes, está programado
para 14 de fevereiro de 2012.  
[bem a tempo para  quem você ama ... T&N]

E o que a banda pensa -----------------

Reunidos a partir de várias vias dos cinco rapazes que compõem uma das mais recentes contratações Tooth & Nail Records ', Nine Lashes, têm um traço comum: a lutarem por aquilo em que acreditam e  despejarem seus corações em tudo que fazem.



Suas diferentes personalidades e gostos musicais são um caldeirão criativo que produz um som híbrido que levará o ouvinte de rock, a gritante participação nos vocais de Ryan Clark, do Demon Hunter (“Our Darkest Day”) para melodias em movimento. Suas diferenças eram vistas como um obstáculo para escrever música, mas eles logo perceberam que trabalhando juntos e abraçando estas variações criadas seria o som certo a se fazer e a combinação para o álbum. 



"Nós apenas começamos a escrever o que sentíamos, e a diversidade dentro de nossa banda traduziu-se diretamente para o registro", afirma Jeremy Dunn, o vocalista.

"Nossos corações foram derramadas neste álbum inteiro, e cada música tem um lugar especial para nós", compartilha Dunn. "As canções abrangem uma variedade de assuntos de perseverança para uma chamada ao despertar. É o mundo que vemos. " 

Nisso está a persistência da banda e dedicação para alcançar seu sonho de se tornar uma banda que a mantiveram passando por mudanças de membro da banda e desafios. Eventualmente Nine Lashes foi descoberto e trazido para a Tooth & Nail Records pelo selo companheiro Trevor McNevan do Thousand Foot Krutch.

Trevor recebeu nosso álbum independente de um amigo da nossa cidade natal. Inesperadamente, este foi o show que ele teve que ser levado às pressas para o hospital para ter o seu apêndice removido. Por causa de algum tempo de descanso que ele tinha, para se recuperar, ele tinha tempo para escutar a nossa música .Agradecemos apêndice do Trevor por terem sidos descoberto ", rindo Jonathan Jefferson, o guitarrista. 

O nome da banda é derivado do chicote usado para bater em Jesus – ‘gato de nove caudas’. Eles citam Isaías 53:5 como suas lembranças dos ferimentos de Jesus, sofridos pela a nossa restauração, e o nome Nine Lashes faz lembrar a banda daqueles ferimentos. 


"Nós nunca vamos esquecer o que Ele fez por nós, e esperamos que o nome de nossa banda chame as pessoas a se fazerem muito esta pergunta - Isso é tudo sobre o que nós somos compartilha Jefferson.


Track § listing
1. Anthem of the Lonely
2. The Intervention
3. Get Back
4. Afterglow
5. Adrenaline
6. Believe Your Eyes
7. Our Darkest Day
8. Memo
9. Write it Down
10. The Void
11. My Friend

Lineup


Jeremy Dunn, vocals
Noah Terrell, drums
Jared Lankford, bass
Adam Jefferson, guitar
Jonathan Jefferson, guitar

Isso, + bio, facebook, twitter, pics você
 encontra no link abaixo.


http://www.toothandnail.com/artists/301/Nine_Lashes/

Antestor : Um break nas gravações do novo álbum.



De acordo com um post via facebook do guitarrista Thor, o unblack Antestor deu uma pausa nas gravações do novo álbum.


Ele falou : " Nossa sessão de gravação foi interrompida por um tempo porque Jo Henning Børven teve alguns problemas com um de seus polegares. Isto foi piorou um pouco por envolver um acidente de trabalho . Por favor, orem por ele. Erik está excursionando na Europa com Monograf e Moddi, mas espero que possamos começar de novo em dezembro. Nesse meio tempo confira a novo release do nosso amigo sueco Prosthetic
. Gostaria de indicar este, como álbum do ano de 2011. - Thor"
Para + info : http://www.facebook.com/ANTESTOR

sábado, novembro 12, 2011

The Book zine voltando a contracenar.

The Book Zine
Um velho companheiro do SIN KILLER desde os primeiros passos, voltou à cena novamente. O ser físico por trás do The Book zine, Heder Osny (aka gladious dei) – re-toma as atividades.


Ele sempre ajudou o SIN KILLER em tempo/termos, tradução, amizade e também tem uma banda de doom metal Crown of Pain. 

Momento oportuno pra dizer... The book is the Net... 

Por enquanto é tudo que eu sei, mas você pode saber mais que eu ou simplesmente ficar sabendo agora fazendo apenas o seguinte.... Entrar no site dele por esse link http://thebookzine.blogspot.com/

Lance King : Escute o novo álbum inteiro em stream.

O AOL Music está dando aos fãs uma primeira oportunidade para ouvir novo álbum de Lance, A Moment In Chiros, em sua totalidade como parte da série AOL Music Full CD Listening Party . Obtenha uma primeira audição aqui. O álbum foi lançado em 11 de novembro.

sexta-feira, novembro 11, 2011

Golden Resurrection lança novo vídeo




By Christian Liljegren

Oi pessoal! Finalmente o primeiro vídeo "Identity In Christ", do nosso novo álbum Man With A Mission, está disponível. Por favor apóiem-nos e comprem nosso álbum & merchandise. Tenham um ótimo fim de semana e curtam o vídeo! Blessings/Christian

[Clique aqui para ver o vídeo]

Fonte: Golden Resurrection on Facebook

'Head' estreia vídeo oficial de "Paralyzed"




By Brandon Geist

Mês passado, o guitarrista e vocalista Brian "Head" Welch, ex-Korn, estreou seu novo single, "Paralyzed", aqui mesmo na RevolverMag.com. Agora ele está lançando o vídeo da mesma música. [Clique aqui para ver o vídeo.]

Sobre a faixa, Head diz: " 'Paralyzed' foi uma das primeiras músicas escritas junto com o produtor Jason Rauch. Ele veio a mim com a ideia e nós mergulhamos nela até termos tudo. Jason está de fato me ajudando a voltar aos riffs esmagadores. Meu primeiro CD solo foi um álbum experimental de modo que os riffs ficaram definitivamente deficientes. Hoje é um novo dia e estou animado quanto ao futuro. 'Paralyzed' é só um tira-gosto do que está por vir."



News

Instagram

Postagens populares

Pesquisar este blog