[SIN] KILLER: Thrice : Dos palcos para Igreja.

sexta-feira, outubro 18, 2013

Thrice : Dos palcos para Igreja.



"Ao ver o tatuado e barbudo Dustin Kensrue  na liderança do culto  em uma manhã de domingo, pela primeira vez, você pode ser tentado a pensar que isto não foi sempre o seu show.

E você estaria certo.

Durante a última década e meia, o agora  pastor nos culto da Mars Hill Church | Bellevue era o homem de frente da banda de rock alternativo Thrice. O grupo construiu um exército sólido  de fãs que o seguiram fielmente  através de oito álbuns completos, dois álbuns ao vivo, um punhado de EP, e inúmeras tours. Enquanto ele amava seus anos com a banda, como pai e marido, turnês constantes, finalmente, tornou-se muito difícil sustentar  uma família em crescimento. A fim de passar mais tempo com sua esposa de 11 anos e suas três meninas, Kensrue moveu o Thrice para um hiato indefinido, e fechou o capítulo atual da banda com uma turnê de despedida, no verão de 2012.


Embora a banda não fizesse  parte de qualquer mercado cristão, Kensrue era aberto sobre sua fé e suas letras eram cheias de ricos conceitos teológicos. Kensrue sentiu que era importante escrever de forma honesta e cativante, e as coisas que geralmente lhe interessava eram as grandes questões da vida e da morte, a fé e a dúvida, o amor e a perda. A camada de franqueza  nos temas de suas músicas abriram as portas para os fãs, amigos e colegas músicos para discutir fé e Deus, sem animosidade. "Eu sinto que por meio da música,  foi criado um canal para conversa  onde geralmente não  tinha um antes", Kensrue explica, acrescentando que "Pode ser que seja um tabu para falar sobre certas coisas, como a fé e a religião, mas eu tenho sido capaz de falar sobre essas coisas e construir grandes relacionamentos com uma grande quantidade de músicos e fãs e pessoas em geral, muitos dos quais eu discordo completamente e com quem discorda de mim. "


Depois  que o Thrice decidiu colocar seus empreendimentos musicais em pausa, Kensrue, musicalmente talentoso e armado com uma mente teológica a favor, aceitou o cargo de Diretor de louvor/Culto na Mars Hill Church. Embora isso possa ter parecido um passo lógico vindo de fora, na verdade ele nunca teve a intenção de ser um Pastor . "Em um ponto eu teria dito a minha esposa que eu nunca seria um líder de louvor", conta Kensrue ", mas, obviamente, Deus tinha planos diferentes. Senti que ele me desafiou a usar os dons que ele me deu para ajudar a mudar as coisas no mundo da música de adoração que eu sentia que estava fora de sintonia com escritura e da verdade do evangelho. "

Kensrue lamenta o fato de que a maioria das músicas de adoração parece ter caído numa rotina, da qual,  não tem compromisso com a cultura circundante. "Nosso Deus cria com excelência, e devemos também", explica. Além da questão da a monotonia musical, ele também tem fortes sentimentos sobre o conteúdo lírico de muitas músicas de adoração popular. "Crescer e ir à igreja, eu sentia o desespero enquanto cantava. Não importa  o quanto era  boa e agradável, a maioria das canções de adoração eram essencialmente apenas uma grande dose de leis  de que eu precisava cumprir para Deus. Sem a primeira imersão das boas novas, que  Jesus fez tudo isso, "Tudo está consumado" nele, a Lei está condenanda porque nós simplesmente não podemos cumpri-la. "Essas canções de adoração, de forma obsoleta e teologicamente torta, estimulou em Kensrue o desejo de escrever músicas melhores para a igreja para cantar.

Embora possa ser um pouco incômodo escrever letras cheias de fé, são excitantes, soa teologicamente e de fácil digestão , Kensrue faz isso muito bem. Mas criar esse equilíbrio não foi fácil. "Você pode ter pessoas que amam Jesus e estão fazendo boa música , tanto quanto a música em si", ele explica, " mas se as letras não são constantemente apontando para a suficiência de Jesus , eu acho que você pode inconscientemente estar causando um grande dano. " Com tudo isso em mente, o seu álbum The Water and the Blood  foi criado.
O projeto de louvor tem como objetivo apresentar um evangelho robusto para um culto de adoração,  realmente agradável de se ouvir. O álbum é uma fusão rica em hinologia , pop e rock -  Estruturas exigentes e fácil de memorizar  perfeitamente os arranjos criativos com sensibilidades mais modernos. Fora os  " Oh God  (outro arranjo da  Mars Hill  ) e "Rock of Ages" ( uma regravação de hino com um novo refrão e ponte ) , cada faixa é original, e estruturada para comunicar grandes verdades de uma forma simples.

"My One Comfort" demonstra isso perfeitamente. As letras "“My one comfort both in life and death / is that I am not my own / I was bought with blood and I confess / I belong to you alone” explains the Gospel in four simple lines. “Rejoice,” “It Is Finished,” and “God is Good,”  todas carregam a mesma disposição,  ganchos fortes, instrumentais pesados, guitarradas e uma seção rítmica encorpada de medidas otimistas e densas, e ainda um  claro conteúdo lírico.

Juntamente com as faixas comemorativas,  são baladas meditativas de veneração. A canção “Come Lord Jesus” ecoa o final do livro de Apocalipse, ansiando pela  volta de Cristo, com letras como “Come again to claim your own. Come to reap what you have sown. All creation weeps and groans for you.” "A música, sem dúvida intencional,  para se encaixar com o tema, foi orquestrada em torno de um compasso 5/4. O arranjo original, incomum para a maioria do gêneros musicais  formam um som que não muda, pausa, ou reprimi. A capacidade do compasso  para criar um ambiente de expectativa e antecipação fornece a plataforma perfeita para uma música sobre a volta de Jesus.


A única música não construída para a adoração corporativa é o lamento poético, “It’s Not Enough”.  Uma balada (elaborado fortemente do livro de Eclesiastes) detecta a insuficiência grave de nossos esforços neste mundo para satisfazer a nós mesmos. A música ergue-se com uma força poderosa, confessando: “Though I indulged my every dark desire / Exhausting every avenue of sin / It’s not enough, it’s not enough / I could walk the world forever / Till my shoes were filled with blood / It’s not enough, it’s not enough.”
O conteúdo é relacionável ​​com fiéis e a não-religioso também. Sua acessibilidade demonstra a capacidade da Kensrue a um  delicaddo entrelace, quebrar o muro falso entre o espiritual e o secular, convidando ambos a se envolverem  contentes sem rótulos.


O álbum mostra a experiência de Kensrue, o talento e um coração inteiro reverenciado pra Deus. Ele solda juntos riqueza doutrinal com melodias memoráveis​​, realmente criando um desafio  para melhorar a doração musical  ainda por vir. "


Mais sons, infos e links essenciais sobre "The Water & The Blood" aqui: https://www.facebook.com/bandsonfire/posts/1015192338540203

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Please 'Like' all the time... If necessary, use words...

News

Instagram

Postagens populares

Pesquisar este blog